Três perguntas para Fernanda Makhoul, do Ponta dos Ganchos Exclusive Resort

O Ponta dos Ganchos Exclusive Resort (SC) retomou as operações desde o dia 30 de julho, sob novos protocolos definidos com base nas orientações do Ministério do Turismo. Desde a reabertura, o empreendimento de luxo vem colhendo bons resultados nas taxas de ocupação, chegando a 100% durante a semana.

Em entrevista à Hotelnews, Fernanda Makhoul, diretora de Vendas & Marketing do hotel, comenta como está sendo a retomada e sobre o perfil dos hóspedes. Com mais de 10 anos de experiência na hotelaria de luxo, a executiva já atuou em Dubai pela EMAAR, maior construtora do Oriente Médio e detentora das marcas The Address Hotels & Resorts, Burj Khalifah, além de trabalhar na Hyatt

Fernanda acredita que a pandemia trouxe uma oportunidade para a hotelaria de luxo do país mostrar seu produto para um público acostumado a viajar para o exterior, e ainda ressaltou que quem souber aproveitar esse momento de maneira correta vai conseguir manter esse público em território nacional mesmo após a vacina.

Confira a entrevista abaixo:  

HN: Quais as principais mudanças que foram feitas na adaptação aos novos protocolos, envolvendo os serviços e experiências? Como tem sido o feedback dos hóspedes?       

FM: O Ponta dos Ganchos se adaptou de acordo com as orientações do Ministério do Turismo para intensificar os processos de higienização e limpeza, que já eram fortes dentro do hotel, então não houve uma alteração drástica. Nesse caso, foi necessário reforçar e alterar o uso de alguns produtos de limpeza específicos, aumentar o foco na higienização de superfícies e dar atenção a outros detalhes.

Na gastronomia não tivemos muitas alterações, pois já trabalhávamos com o formato à la carte em todas as refeições. Porém, revisamos o layout de mesas, criamos menu digital e um hotsite com todas as experiências que oferecemos. Em paralelo, a utilização de máscaras, disponibilidade de álcool em gel e demais obrigações estão sendo colocadas em prática.

Com relação ao feedback, o retorno dos hóspedes é positivo. As adequações que foram feitas são notáveis por todos, que se sentem seguros dentro do hotel. Também recebemos as avaliações diretamente dos serviços personalizados que oferecemos, com boa interatividade.

HN: Como foi taxa de ocupação do hotel comparada com o mesmo período de agosto e setembro do ano passado?

FM: Decidimos realizar a retomada de uma forma mais tranquila, por isso em agosto o hotel funcionou apenas de quinta a domingo. Mas se tivéssemos aberto todos os dias do mês teríamos uma taxa de ocupação acima da média dos meses de agosto. Já em setembro, a ocupação foi maior em relação ao mesmo período do ano passado.

Já estamos operando com a capacidade total do hotel (25 bangalôs) devido ao espaço que o empreendimento ocupa. São 80 mil metros quadrados, onde cada hóspede tem aproximadamente 1.600 metros quadrados para si durante a estadia, proporcionando por si só o distanciamento social.

HN: Por conta das restrições das viagens internacionais, muitos turistas de luxo, que costumavam a viajar para o Exterior, estão explorando mais o País e a sua hotelaria de alto padrão. Vocês sentiram esse impacto com novos hóspedes que ainda não conheciam o Ponta dos Ganchos?

FM: Nós temos uma nova parcela de hóspedes com perfis diferentes dos quais estávamos acostumados a receber com frequência. Recebemos agora um público mais jovem, entre 30 a 40 anos, que se hospedava conosco em situações mais pontuais, como a época de verão, lua de mel ou quando o casal passava o final de semana.

Esse novo perfil é interessante para entender as demandas do público. Durante os últimos meses também recebemos muitos casais que já estavam com cerimônia de casamento marcada fora do Brasil e, por conta da pandemia, tiveram que cancelar. Então, eles resolveram se hospedar no hotel para não passar a data em branco.

Deixe uma resposta