Xô, Zika!

Saiba o que fazer para diminuir a incidência do zika vírus nos hotéis brasileiros

Transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti, que se prolifera nos locais com acúmulo de água, o zika vírus deu as caras no Brasil em abril de 2015 e já levou pelo menos três pessoas a óbito no país: uma em São Luís (MA), uma em Benevides (PA) e outra em Serrinha (RN). Microcefalia congênita e problemas neurológicos causados pelo vírus também deixam em alerta a população, que já sofre com a alta incidência de casos de dengue e febre chikungunya, causados pelo mesmo inseto.

De acordo com o Ministério da Saúde e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas-OMS), só em 2016 já foram registrados mais de 72 mil casos suspeitos de zika vírus e 6.353 de chikungunya. A incidência da dengue chegou a quase 500 mil, o que representa aumento de cerca de 50% em relação ao mesmo período em 2015. A região Sudeste computou o maior número de casos (280 mil; 56,6%) em relação ao total do país, seguida do Nordeste (92 mil; 18,6%), Centro-Oeste (62 mil; 12,7%), Sul (36 mil; 7,5%) e Norte (23 mil; 4,7%). 

Leia a matéria completa na página 28 da edição 391

 

Deixe uma resposta