Tendências do mercado de food service

O food service está cada dia mais presente no cotidiano dos brasileiros, fazendo com que esse mercado ganhe destaque no ramo alimentício. Esse setor, que envolve a alimentação fora do lar, fornece a venda de comidas e bebidas prontas para o consumo, feitas por restaurantes, bistrôs, padarias, lanchonetes, etc, que podem ser consumidos no próprio estabelecimento, comprando e levando ou ainda através de entregas. Esse mercado compreende desde a produção até a distribuição e os equipamentos utilizados no preparo de tudo. Com um crescimento considerável na última década, mostrando uma média de 12% ao ano, o setor não atingiu esses patamares nos últimos anos, compreensível devido à crise que se instaurou no nosso país. Porém, ainda continua com números elevados, com alta prevista para esse ano de 7,7 %. A alimentação sofreu modificações ao longo da história, acompanhando as mudanças de comportamento da sociedade. O setor de Food Service é reconhecido pelo dinamismo em responder a novas demandas, e por isso novas tendências surgem, até para garantir o desenvolvimento do setor. Vamos falar de algumas dessas tendências. Primeiro podemos falar de um tema que é muito forte nos dias atuais, a preocupação e conscientização por uma alimentação saudável. Esse estilo de vida inclui pensar em ter uma saúde melhor e também um corpo mais bonito. Os orgânicos, produtos naturais, que não tenham toxicidade (usados na produção) e industrialização são a bola da vez. Esses produtos “bio”, estão deixando de ser um nicho para fazer realmente parte do mercado. Essa tendência de alimentação orgânica é importante, valorizando a origem do produto, mas precisamos ir além, precisamos pensar também nas embalagens usadas, é possível que elas sejam orgânicas, e assim considerar o todo, o lixo que é produzido depois faz parte do processo. Ainda nessa questão de naturais, a cozinha vegetariana também deixou de ser algo à parte, para entrar de vez no cardápio e fazer parte da gastronomia, já e ultrapassado olhar para as pessoas veganas como pessoas “naturebas”. Antes os consumidores pensavam no paladar, no sabor dos alimentos. Hoje eles querem saber a procedência do que vão consumir e como são preparados, garantindo uma alimentação saudável, e assim dando preferência a locais que confiarem. A inovação é outra tendência, a mistura de alimentos, de ingredientes, causa um mix de sabores interessantes, que marcam, são as chamadas comidas híbridas. Essa chance de provar coisas diferentes chama a atenção do consumidor. Na mesma proporção que buscam a inovação, as pessoas buscam variedade, opções de boas refeições, nutritivas, faz com que não optem pelo mais simples, que seria um lanchinho rápido, que geralmente acaba não sendo saudável. Os consumidores têm suas preferências individuais, e por isso a personalização dos pratos é outra tendência, já que se alimentam fora de casa buscam combinações diferentes para não enjoar do mesmo alimento. Os brasileiros estão buscando cardápios artesanais, preparados na hora pelo estabelecimento. A qualidade artesanal acaba sendo o diferencial, pois parece que os alimentos foram feitos em casa. Enxergo com naturalidade esse vai e vêm da gastronomia, coisas que antigamente eram tendência e acabaram sendo superadas por uma industrialização em massa dos nossos alimentos. Nessa atual correria desenfreada, nessa aceleração do mundo, estamos aos poucos tentando entender cada vez mais o mercado e seus produtos, e ajustando que caminhos seguir. José Carlos Dias Reis é mestre em engenharia de alimentos e sócio-fundador da Intellikit.

Deixe uma resposta