Room service

O serviço de quarto não morreu, está sendo reinventado

Com viajantes cada vez mais ávidos por rapidez e qualidade, empreendimentos que não se atualizarem perderão receita. E a afirmação vale também para o segmento de Alimentos e Bebidas, mais especificamente para o serviço de quarto, que frequentemente recebe reclamações pela demora, preços altos e, muitas vezes, por apresentar baixa qualidade.

Indispensável em hotéis orientados a executivos e a eventos, de acordo com Eduardo Faraco, da Faraco Consultoria, o serviço de quarto precisa ser ágil e ter boa relação custo x benefício. “Geralmente esses empreendimentos hospedam pessoas que saem cedo para seus compromissos, almoçam rapidamente e, quando retornam ao hotel, precisam de um bom serviço de alimentação”, explica.

Esse é o caso do Samba Lagoa da Prata, by Gilberto Silva, hotel localizado em Lagoa da Prata, Minas Gerais, e que tem como foco o cliente corporativo. Segundo a gerente operacional, Susana Diniz, o room service foi incorporado recentemente na unidade – antes só havia a opção do restaurante localizado no 10o andar. “Como a maior parte dos nossos clientes fica fora durante o dia não há demanda para o almoço, então oferecemos o serviço apenas entre 18h e 22h”.

Leia mais na página 36 da edição 407

 

Deixe uma resposta