O poder das sopas

Prato permite uma infinidade de combinações que agradam os paladares mais exigentes

Por muito tempo as sopas foram consideradas opções baratas e de preparo simples. As receitas das vovós levavam prioritariamente legumes e hortaliças, às vezes um pouco de macarrão e/ou alguma proteína. Hoje, esse item tão popular ganha ares mais requintados e opções diferenciadas para todos os gostos e necessidades. Pelas mãos criativas dos chefs de cozinha, podem ser encontradas em diversas versões: exóticas, funcionais, sem glúten, veganas e afrodisíacas. 

A chef Ana Zambelli, responsável pelos cardápios do Noah Gastronomia e da rede Blue Tree Hotels, diz que, com a alta do preço dos insumos, a sopa já não é classificada como uma alternativa de tão baixo custo quanto antigamente. “Legumes e produtos in natura estão a preço de ouro. Assim, esses pratos acabam tendo peso similar ao de outros”, afirma a profissional, que desmistifica também a ideia de que o preparo de uma sopa é algo de manejo simples. “Uma de cebola, por exemplo, é superdifícil de acertar, pois tem cocção lenta. As bases precisam ser feitas com bons caldos. Sem isso não existe uma boa sopa. Difícil é fazer o simples bem feito”, completa.

Rica em nutrientes e vitaminas

A enorme variedade de matérias-primas existente permite pratos com sabores e texturas inimagináveis tanto para serem consumidos quentes quanto frios, em suas variações para os dias de verão. “As sopas são boas opções para as refeições principais, desde que sejam elaboradas com pouca gordura, utilizando temperos naturais, contendo carboidratos de baixo índice glicêmico, verduras, legumes e proteínas”, explica Mariellen Emídio Figueroa, nutricionista do Kurotel – Centro Médico de Longevidade e Spa de Gramado (RS).

Veja a matéria na página 32 da edição 409

 

Deixe uma resposta