Hotelaria avança contra a exploração sexual de menores

Setor se mobiliza e assina declaração de compromisso contra a prática

Representantes de diversos setores da economia participaram no último mês de maio de uma Oficina de Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Durante o evento, promovido pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, empresas e entidades assinaram uma declaração de compromisso contra o abuso sexual de menores de idade.

O Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (Fohb), que congrega 24 redes de hotéis associadas, encampa a iniciativa ao lado da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) e Resorts Brasil e tem trabalhado em diversas frentes para coibir a prática junto aos meios de hospedagem.

Dentre os artigos do documento, as entidades se comprometem a “desenvolver e implementar de forma sistemática ações concretas e efetivas de sensibilização de seu público interno e de sua cadeia produtiva sobre o tema, incentivando a denúncia contra quaisquer atos que caracterizem exploração sexual de crianças e adolescentes. E, sempre que possível, estabelecer cláusulas nos contratos existentes nos diversos segmentos da atividade produtiva, declarando explicitamente a rejeição a qualquer forma de exploração sexual de crianças e adolescentes e a qualquer ação ou material promocional que a estimule, inclusive a publicidade.

O plano de ação da campanha envolve a distribuição de adesivos, banners, camisetas, panfletos e ecobags, além da veiculação de anúncios, cartazes, outdoors e um vídeo para sensibilizar também o consumidor. “A assinatura desse documento afirma nossa luta contra a violência sexual de crianças e adolescentes, e nosso compromisso com o desenvolvimento sustentável da hotelaria no Brasil”, declara Roberto Rotter, presidente do Fohb.

Recentemente, e ainda relacionada ao tema, outra iniciativa encampada pelas entidades hoteleiras foi interceder junto ao Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) para a emissão de uma norma técnica que rege a hospedagem de menores, agora legitimada desde que acompanhados por um dos pais ou responsáveis legais, em consonância com a regra já adotada pelas companhias aéreas.

Deixe uma resposta