E agora, Rio?

Como a hotelaria carioca poderá sustentar-se após as Olimpíadas

Cercada de críticas e polêmicas antes de seu início, as Olimpíadas realizadas neste ano no Rio de Janeiro foram um sucesso. Para receber turistas brasileiros e estrangeiros, a hotelaria investiu na abertura de novos hotéis, aumentando a oferta de 29 mil para 60 mil leitos na cidade. Com o fim dos Jogos surgem as perguntas: como a cidade poderá atrair mais turistas e como a hotelaria poderá deixar a ocupação de seus empreendimentos atraente?

De acordo com levantamento da Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (Riotur), a capital fluminense recebeu 1,7 milhão de turistas em agosto de 2016, período em que foram realizadas as Olimpíadas. Tamanho movimento foi benéfico para diversos setores da cidade. O Terminal Internacional de Cruzeiros do Píer Mauá registrou a chegada de 30 mil passageiros neste período. O Cristo Redentor e o Pão de Açúcar receberam 30% a mais de visitantes em relação ao mesmo período em 2015.

A cidade também investiu em obras de mobilidade. Utilizado para transportar pessoas que iriam assistir aos Jogos, o BRT deverá ser utilizado por 70 mil pessoas diariamente. Outra inauguração foi o aguardado metrô da Barra da Tijuca,  aberto com atrasos, mas que agora está sendo utilizado pela população. O VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) é uma novidade que deverá percorrer 28 quilômetros e transportar 300 mil passageiros por dia. 

 

Leia a matéria na íntegra na página 18 da edição 394

 

Deixe uma resposta