Cozinha blindada

Com a exigência de novos protocolos, os empreendimentos hoteleiros reorganizaram suas operações para garantir mais segurança tanto para os hóspedes quanto para os colaboradores. Um dos setores que precisou passar por adaptações foi o de Alimentos & Bebidas. No entanto, o impacto no dia a dia não foi tão grande, devido ao preparo já existente nessa área. A grande mudança ficou por conta do tipo de serviço oferecido ao cliente e da criatividade para lidar com a nova realidade.

“O setor de A&B sempre contou com mais protocolos e cuidados. Já seguíamos muitas legislações e, com a pandemia, isso ficou mais intenso. No entanto, reforçamos a parte de higienização de superfícies, de não compartilhar utensílios e, se for preciso, fazer a higienização entre um manipulador e outro”, explica a CEO da Nutrisano, Bel Giannichi.

O principal ponto envolve o bufê, que agora não é recomendado por conta das altas chances de contaminação entre o manuseio de uma pessoa e outra com os utensílios e as gotículas de saliva, que podem cair nos alimentos. “Esta é a maior mudança do momento. Em alguns municípios, é permitido apenas o bufê assistido ou invertido, em que um colaborador serve os clientes. Por legislação federal, o serviço precisa ser montado atrás de uma proteção de acrílico ou vidro, tendo bloqueio frontal e lateral”, ressalta Bel.

Leia a matéria completa na edição 415 (aqui) ou no nosso app, disponível para download na Apple Store e no Google Play

Deixe uma resposta