Colchões

Dormir bem é sinônimo de qualidade de vida

É consenso universal: nos meios de hospedagem é indispensável oferecer colchão de qualidade, pois uma das principais expectativas do cliente é ter uma noite relaxante e reparadora. Não por acaso o hóspede tem essa prioridade, pois dormir bem é sinônimo de saúde do organismo, sobretudo, interfere na capacidade de acumular conhecimento e nas alterações do humor, fatores decisivos para a criatividade, a atenção, a memória e o equilíbrio do indivíduo. O colchão deve dar suporte adequado ao corpo do usuário, mantendo o alinhamento correto da coluna, de acordo com o Iner (Instituto Nacional de Estudos do Repouso).

Para conquistar e fidelizar o hóspede, o segmento prioriza investimentos em um bom colchão e, diante da considerável oferta, depois de definir que tipo de sono quer oferecer ao hóspede, é necessário realizar criteriosa pesquisa de mercado para a aquisição do produto. Vale ressaltar que a qualidade e as dimensões dos colchões são itens preponderantes na definição da categoria de um hotel.

Sendo considerável a concorrência de mercado, as indústrias de colchões investem em pesquisas e desenvolvimentos, observando as normalizações da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que, entre outros aspectos, indicam a densidade para cada biótipo. Além disso, são observados os padrões definidos pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) que, frequentemente, realiza testes. Entre outros aspectos, são analisados: medida mínima de espessura, densidade, resistência ao impacto e desgaste com o tempo.

O colchão de molas, com 10 anos de garantia, antecedeu o de espuma que tem menor vida útil. No exterior, o produto de molejo sempre foi mais usado do que o outro, que é utilizado somente em necessidades eventuais. Aqui, quando foi lançado com preço comparativo menor, o de espuma atraiu grande parte dos consumidores e continua liderando as vendas. Já no segmento hoteleiro, desde que se acentuou a instalação de redes internacionais no Brasil, há indícios de que aumenta progressivamente a procura pelo de molejo, compondo a cama box spring: uma estrutura de madeira com formato de caixa, com ou sem molas, e revestida de tecido, em substituição ao estrado de madeira. Nos empreendimentos mais luxuosos, o conforto ganha mais um recurso: o pilow top: uma camada adicional sobre o colchão, confeccionada de fibras e espuma.

Sonhos coloridos

Sintetizando essa importância, Neusa Lemos, gerente no Villas del Sol y Mar, afirma: “o colchão tem de cumprir seu papel: garantir uma boa noite para o hóspede”. Situado na Praia do Jurerê, em Florianópolis (SC), o elegante hotel tem como público-alvo o turista de lazer. Dispões de dois tipos de acomodações: suítes de diferentes cores e residências.

As instalações são modernas e requintadas, com decoração inspirada nos hotéis da Costa Esmeralda (Itália). Para um bom sono, o hóspede tem à disposição cardápio de travesseiros, entre outros mimos. Essa sofisticação se sobressai porque a cama com dossel tem o essencial: colchão confortável. Neusa conta que, criteriosamente, foram selecionados na Nova Equipotel 2002, ano da inauguração do hotel.

Projeto específico

No Comfort Suite Macaé – na segunda cidade de maior importância econômica do Rio de Janeiro – o público corporativo responde por 98% de sua ocupação. “Do hotel, os clientes esperam ter uma noite, de fato, repousante e um bom banho, depois de se ocuparem dos negócios”, diz o gerente-geral João Paulo Frigeri.

Com 26 anos de experiência na hotelaria, tendo atuado em todas as regiões brasileiras, ele afirma que independente da categoria e do segmento de hóspedes atendidos, “uma boa noite de sono representa um elogio no café da manhã”.

Ele conta que Foz do Iguaçu foi um dos lugares em que trabalhou. No hotel, o público era preponderantemente turístico e o empreendimento oferecia dezenas de opções para o entretenimento. No entanto, se por qualquer imprevisto o hóspede encontrasse um colchão inadequado, certamente, desqualificava a hospedagem.

O Comfort Suite Macaé oferece 126 apartamentos, sendo que das 181 camas, 110 são de solteiro. Todas têm colchão box de molas, com a qualidade recomendada pela administradora, a Atlantica Hotels International, para hotéis de categoria superior.

João ressalta que é aconselhável adquirir colchões projetados especificamente para o segmento hoteleiro, pois a natural rotatividade de usuários requer produtos resistentes, além de confortáveis. O segmento industrial sempre apresenta inovações. É importante acompanhar essa evolução, inclusive, para saber detectar a expectativa do hóspede. “A Nova Equipotel é uma boa oportunidade para conferir as novidades do mercado”, frisa o executivo que se programou para visitar a feira deste ano.

Ele ressalta que, para garantir a continuidade do bom atendimento, as substituições dos colchões devem ser planejadas, pois há um desgaste natural das molas, da espuma e do tecido que as envolve. No Comfort Suite Macaé, é realizada aos poucos e ocorrem todos os anos.

Chamariz do hóspede

Leandra Antão, gerente-geral no Clarion Jardim Europa, em São Paulo, salienta que para a durabilidade do colchão é fundamental observar os procedimentos de manutenção. As principais medidas são: virar com frequência, usar protetor para evitar manchas, deixar arejar, limpar e higienizar.

Ela endossa a opinião de João ao afirmar: “tratando-se de equipamentos e produtos, o chamariz do hóspede é a qualidade da cama e do chuveiro ou ducha, são esses itens que causam maior impacto ao cliente. No que se refere ao quarto, um dos diferenciais de mercado da Atlantica Hotels é a cama dos sonhos”.

Para escolher os colchões, essa rede hoteleira realizou extensa pesquisa, que abrangeu todos os demais equipamentos, produtos e serviços dos empreendimentos, visando superar a expectativa do cliente, conforme diretriz definida por Paul Sistare, presidente e CEO.

Para os quartos, a cama dos sonhos é um destes projetos, elaborado com a participação de hóspedes e conhecimentos internacional da cadeia hoteleira. Para implementar no Brasil, foi preciso viabilizá-lo economicamente, tarefa realizada pela gerente de produtos e suprimentos, Regina Segui.

Ela explica que a cama box foi desenvolvida junto com o fornecedor. O colchão tem um tipo específico de molejo, pillow top, medidas maiores do que as convencionais e é anatômico. Está disponível nos hotéis superior e luxo, nas suítes destas categorias. Lençóis macios revestem a cama que ainda conta com seis travesseiros e um xale decorativo. No ambiente, predomina a cor branca, emitindo sensação de limpeza para o hóspede.

Também nas demais categorias de apartamentos da rede, a preocupação com a qualidade do colchão é preponderante, sendo que a principal variante é a altura.

Deixe uma resposta