Menos contato, mais conexão

Quem não se preocupava com a tecnologia e digitalização dos processos na Hotelaria ganhou novos desafios e foi obrigado a sair da zona de conforto. Isso porque a pandemia da Covid-19 impôs novos cuidados para preservar a saúde de clientes e colaboradores, que envolvem distanciamento social e o menor contato físico possível.

A mentora em hospitalidade, Aline Silva, afirma que os hoteleiros devem priorizar tudo o que possa garantir mais segurança às operações e entrega de serviços. “É preciso avaliar quais tecnologias são adequadas para cada caso e estabelecimento, e se elas eliminam os aspectos menos importantes para os hóspedes. Neste momento, devemos considerar ferramentas que nos ajudam a realizar as atividades da forma mais segura, com atenção especial para as tecnologias sem contato”.

Para Aline, os hoteleiros que estão começando devem priorizar check-in e check-out online, sistema próprio de reservas para vendas diretas e QR Codes, além de digitalizar todo o seu material informativo. “Dê atenção à experiência do cliente antes mesmo que ela comece, tendo em vista que a Covid mudou a maneira como os consumidores se relacionam com as marcas e adquirem produtos e serviços”.

O coronavírus acelerou uma série de tendências e funcionalidades que já existiam e, agora, ficou óbvio como a tecnologia é relevante e pode facilitar o dia a dia, avalia Trícia Neves, sócia-diretora da Mapie Consultoria. “Reclamávamos que momentos da jornada do cliente como check-in e check-out eram chatos, burocráticos e quase desnecessários. E que se eles fossem eliminados, com a chance de fazê-los de qualquer lugar, seria um conforto maior. Isso agora é uma realidade. Estamos mais amigáveis aos processos digitalizados porque, além de ser mais prático e rápido, eles reduzem os riscos para a nossa saúde”

Deixe uma resposta