Mármores e granitos

Rochas ornamentais podem ser protagonistas ou coadjuvantes nos projetos de decoração

Sinônimos de requinte e durabilidade, mármores e granitos são muito cobiçados na decoração de ambientes internos e externos. Desde a antiguidade essas rochas ornamentais são utilizadas por sua raridade, beleza e durabilidade, principalmente em construções suntuosas, como o Coliseu, na Itália; o Parthenon, na Grécia; e o Taj Mahal, na Índia.

Por ser uma rocha metamórfica originária do calcário, o mármore é marcado pela presença de veios, movimentos e diferentes colorações, e caracterizado pela ‘maciez’ e porosidade, sendo mais suscetível a intempéries, riscos e desgastes do que o granito, que é composto por quartzo, feldspato e mica, e, portanto, mais resistente. “Os mármores são mais sensíveis à utilização de ácidos e à ação do tempo, enquanto os granitos são mais densos e não se desgastam facilmente”, afirma a decoradora Vanessa De Mani.

Por suas particularidades, os produtos possuem diferentes indicações de uso, como conta o arquiteto Robson Gonzales. “Mármores podem ser aplicados em pisos internos e como revestimento para paredes. São também muito utilizados em banheiros e lobbys de hotéis, e em guarnições de portas, elevadores, lareiras e móveis, como mesas e aparadores. Já os granitos costumam ser aplicados em pisos externos, de tráfego intenso, pias de cozinha, banheiros, piso ou bancadas em lavanderias, churrasqueiras etc”, explica.

Ideia defendida também pela designer de interiores, Adriana Scartaris. “Quando o projeto necessitar de robustez e resistência, além da praticidade de manutenção, o ideal é optar pelos granitos. Se a linguagem do projeto buscar plasticidade e beleza pela movimentação dos veios, o ideal é o mármore. São verdadeiras obras de arte da natureza”, diz.
Mercado nacional

De acordo com dados divulgados durante a última Stone Fair – Feira Internacional do Mármore e Granito, realizada em fevereiro deste ano em Vitória (ES), o Brasil figura na 8ª colocação no ranking da exportação de blocos para o mundo e na 5ª posição em exportação de rochas ornamentais acabadas. O segmento por aqui movimenta cerca de US$ 2,1 bilhões por ano, sendo mais de 1,2 mil tipos de rochas exploradas por 12 mil empresas instaladas por todo o território nacional, o que gera 100 mil empregos diretos.

Entre os principais granitos do mercado, a designer de interiores Semara Brito destaca alguns: Branco Dallas, Café Imperial, Preto Absoluto, Branco Itaunas, Preto São Gabriel, Santa Cecília e Branco Polar. “Os principais mármores são Branco Ariston, Piguês, Crema Marfil, Marrom Imperial, Nero Marquina, Carrara, Calcata, Thassos e Nero Portoro”. Para Robson Gonzales, o Brasil possui excelentes artigos, estando entre os maiores produtores mundiais de pedras ornamentais. “O granito brasileiro atende muito bem a nossa demanda, porém os mármores mais desejados são os importados, principalmente os italianos e gregos”, afirma.

A beleza e a funcionalidade dos mármores e granitos podem ser enfatizadas com os acabamentos. Entre as possibilidades estão o polimento, que confere aspecto liso e brilhante, e a aplicação de resina, que cobre os poros existentes nas pedras proporcionando brilho superior. Ambos indicados para ambientes internos e secos, já que as pedras ficam escorregadias. O levigado (lixamento bruto) apresenta visual sem brilho e pode ser utilizado tanto em áreas externas quanto internas, desde que a decoração seja mais rústica.

Outro acabamento disponível é o flameado (jato de fogo), que confere aspecto áspero, rugoso e ondulado e é indicado para áreas externas por possuir propriedades antiderrapantes. O apicoado (pequenas marteladas), que produz aspereza variável e aspecto poroso e uniforme, e o jateado (jatos de areia), que proporciona visual opaco, também são indicados para áreas externas.

Com manutenção semelhante, mármores e granitos requerem cuidados na hora da limpeza. Evitar produtos químicos é a principal dica. Utilizar vassoura e panos macios ajudam a prevenir riscos. Se necessário o uso de detergente, deve-se escolher um produto com ph neutro ou artigos específicos para a limpeza dessas rochas. “Tanto o mármore quanto o granito oferecem uma grande durabilidade, mas com o passar do tempo podem apresentar desgaste. Quando isso acontece é possível fazer um polimento com cera para que fiquem como se fossem novos”, diz a arquiteta Adriana Agostinho.

Mais do que um mero detalhe

De propriedade de uma família que há muitos anos trabalha com extração do mármore em Vila Viçosa, Portugal, o Alentejo Marmòris Hotel & Spa é um verdadeiro museu dedicado à matéria-prima, tanto encontrada na região quanto importada de países como Itália, França, Turquia e Bélgica.

O produto é visto em todos os cantos do luxuoso hotel, desde o lobby – onde o mármore branco nacional é predominante e há ornamentos de pedra negra italiana nos grandes pilares do espaço – passando pelos espaçosos quartos, 45 no total, onde o destaque fica por conta da decoração dos banheiros, todos forrados com a pedra em diversas tonalidades; até chegar ao Stone Spa by Cinque Mondes – primeiro da marca em Portugal – onde estão formações rochosas encontradas na fase de construção do empreendimento e que foram mantidas para que os hóspedes e visitantes pudessem conhecer a matéria-prima em estado bruto.

Deixe uma resposta