Glamour de um autêntico palácio otomano

Bizâncio é o nome original da moderna cidade de Istambul. Devido à localização estratégica – próxima às rotas comerciais que ligavam o Mar Mediterrâneo ao Negro e a Europa à Ásia -, em 330 a.C., o imperador Constantino a transformou na capital do Império Romano. Batizada de Constantinopla, foi capital do Império Romano do Oriente, também conhecido como Reinado Bizantino até 1453, quando os turcos otomanos a dominaram. A cidade permaneceu capital do Império Otomano até a dissolução desse Estado, em 1922, e foi oficialmente renomeada Istambul pela República da Turquia, em 1930.

Esta metrópole, que é um gigantesco mercado onde tudo se vende, transborda sons, luzes e cheiros. O estreito de Bósforo separa o lado asiático, predominantemente residencial, do lado europeu, ligando o Mar de Mármara ao Negro. Fazer um passeio de barco nestas águas é imperdível. Numa viagem de extravagâncias arquitetônicas, avistam-se as mesquitas Azul e Suleymaniye, Santa Sofia, a Torre Galata, o Palácio Dolmabahçe, entre outras.

Localizado na margem europeia do estreito de Bósforo, o Ciragan Palace Kempinski é um verdadeiro resort no meio da frenética Istambul. Mistura a tradição de um luxuoso hotel europeu com a hospitalidade turca. Envolvido por belíssimos jardins, é composto por duas alas: o Ciragan Palace, que já foi um legítimo palácio de sultão, e o Grand Hotel, adjacente ao palácio.

História
O Palácio de Ciragan, originalmente de madeira, foi construído no final do século 16. Reconstruído em mármore em 1857, foi residência dos últimos sultões otomanos. Em 1910, foi destruído por um incêndio, restando apenas as paredes externas. Somente em 1986 começou a restauração para transformá-lo em um hotel sob a administração da rede alemã Kempinski.
Esse palácio é um dos cartões-postais da cidade. O nome Ciragan é originário dos espetáculos que aconteciam nas redondezas, entre Besiktas e Ortakoy, os chamados “Festivais de Ciragan”.

Hospedar-se nas exclusivas suítes do palácio é um luxo para poucos, principalmente se for na suíte Sultão – considerada uma das maiores da Europa. Em uma área de mais de 450 m2 e com uma decoração primorosa, a suíte dispõe de dois espaçosos quartos com vistas para o Bósforo, cozinha e um maravilhoso banheiro de mármore. O palácio possui recepção privativa e um lounge, onde são servidos o café da manhã e o chá da tarde.

Os hóspedes que ocupam uma de suas 11 suítes podem desfrutar de serviço de mordomo nas 24 horas do dia, além de ter acesso livre ao Sanitas Spa. Recentemente, as áreas públicas, salas de reuniões e conferências foram totalmente reformadas. Há ainda um hamman (banho turco) original que era de uso exclusivo dos sultões. Hoje, esse ambiente pode ser utilizado para coquetéis e eventos especiais. Já o Grand Hotel dispõe de 302 apartamentos, sendo 20 suítes. A maioria com varanda sobre o Bósforo. São equipados para agradar até aos hóspedes mais exigentes.

O hotel possui vários restaurantes: o Gazebo Lobby Lounge que permanece aberto as 24 horas do dia e serve rápidas refeições, o tradicional “Turkish High Tea”, o Ladelan Restaurant, onde é possível degustar especialidades de peixes no almoço ou jantar e saboroso bufê no café da manhã, o elegante e premiado Tugra Restaurant, localizado no palácio, é especializado na tradicional culinária otomana. Apenas durante as noites quentes do verão, funciona o Ciragan Bosphorus Barbecue, que serve churrasco na beira do Bósforo.

O Sanitas Spa oferece tratamentos e terapias que visam à revitalização e ao rejuvenescimento. Um dos tratamentos é realizado dentro de um autêntico banho turco, onde o calor do vapor juntamente com a massagem, realizada com óleos aromáticos, induz ao relaxamento profundo do corpo e da mente. Junto ao spa está um moderno fitness center.

Mais informações e reservas: www.kempinski-istanbul.com e www.lhw.com.

Deixe uma resposta