Entre no tom

Tecidos em padrões variados e cores fechadas voltam forte na decoração interna e externa

Composições antes inimagináveis entre florais, listrados e estampados geométricos deram literalmente o tom na decoração de vários dos espaços do Salão do Móvel de Milão, a mais importante referência na atualidade para arquitetos, artistas plásticos e designers de interiores. O evento representa a vanguarda do design e divulga lançamentos de peças ousadas e inovadoras, que certamente irão nortear o trabalho de profissionais do mundo todo pelos próximos meses ou até mesmo anos, em alguns casos.

Na edição de 2011, mais de 300 mil visitantes puderam se inspirar com as novidades e descobrir que o emprego de tecidos está voltando com força à decoração de qualquer espaço, interno ou externo. “Os tecidos despertam experiências sensoriais e essa é uma grande dica para a composição de ambientes”, revela a designer de interiores, Adriana Scartaris, sem esquecer que nesse processo a escolha das cores também é essencial ao sucesso do projeto. “Para quem atua na área ou quer decorar seu espaço residencial ou comercial é importante conhecer a tendência de cores e revestimentos, pois são estas que vão conferir personalidade ao projeto e ao ambiente”, pondera. Ainda de acordo com a designer, a mostra de Milão revelou que cordas, franjas e entrelaçados de forma geral irão compor sofás, cadeiras e cortinas sempre promovendo a experiência sensorial proposta com o toque do aconchego.

Ramiro Sanchez Palma, coordenador do Comitê TexBrasil Décor de Tecidos para Decoração da Associação Brasileira da Indústria Textil e de Confecção (Abit) destaca que a tendência do momento são mesmo os tecidos compostos de fios e acabamentos tecnológicos. “Com mais qualidade e maior capacidade de produção, a indústria está levando para o mercado tecidos cada vez melhores e mais elaborados. Os investimentos em produção e criação cresceram muito nos últimos anos, estimulados pela concorrência e pelo impulso empreendedor das nossas empresas. De outra parte temos o consumidor mais exigente e consciente da importância do uso de produtos que respeitem o meio ambiente e a sua qualidade de vida, e nesta direção observamos que existe uma clara posição quanto ao gosto e a decisão pessoal”, pontua.

Entre as opções ele cita os tecidos de neon, fibras de pet, linho ecológico, aromatizados e os estampados diversos em bases naturais. “Fica difícil falar de todos os produtos, mas posso sinalizar que as fibras naturais são mais requisitadas no momento, com destaque para o linho”, informa Palma.

De acordo com o dirigente, vale salientar que os processos de produção no Brasil são supervisionados com rigor pelos órgãos públicos e que existe uma consciência generalizada acerca do meio ambiente, desde a produção do fio, passando pela tecelagem, culminando com o acabamento, que usa água da natureza e a devolve devidamente tratada, produções limpas, e outras questões técnicas. “Posso garantir que, de um modo geral, o Brasil avançou muito nestas questões, diferentemente de certos países que ainda não deram a devida importância a este tema. Como curiosidade, eu menciono que por vezes nos enganamos e achamos que as fibras naturais são ecologicamente corretas, contudo temos que levar em consideração os processos que foram submetidos (não poluentes). Um tecido sintético, portanto, pode sim ser melhor para o meio ambiente do que uma opção em fibra natural. O mais importante é a qualidade da produção, desde o plantio da matéria-prima (no caso dos naturais) até o acabamento”, lembra.

Como harmonizar

Do ponto de vista da utilização do tecido na decoração, o mercado tem hoje diversas opções à disposição. Para as áreas externas, Ramiro Sanchez Palma recomenda fibras sintéticas (de preferência o acrílico). “Elas têm qualidades de solidez à luz e lavagem, pouca chance de dar bolor e são fáceis de lavar, mas é importante lembrar que a hotelaria deve optar por tecidos anti-chamas, que diminuem os riscos de incêndios e reduzem até mesmo os custos com seguro”, ressalta.

Comprovando a aposta na tendência, algumas empresas do Comitê estão redobrando a aposta nos tecidos autocolantes voltados exclusivamente para aplicação em paredes ou qualquer outra superfície, como vidro, espelho, teto, chão, geladeira, acrílico, azulejo e fórmica, dentre outras. ”Vale como alternativa para deixar o ambiente moderno, elegante e sofisticado, além da enorme facilidade no uso e maior custo-benefício”, lembra Palma.

A arquiteta Vanessa Trad endossa a aposta e diz que a utilização de tecidos para revestir paredes nunca esteve tão em alta e a tendência vale para quartos, livings e até áreas molhadas, como banheiros e lavabos. “Para áreas onde o acesso de pessoas é grande, o ideal é utilizar tecidos mais resistentes, como o couro, linho, sarja entre outros. Tudo para garantir a decoração e evitar manutenção freqüente”, diz.

O emprego de tecidos mais finos e delicados, como a seda, por exemplo, ela recomenda especialmente para áreas acima da cabeceira da cama ou no teto. “São áreas em que dificilmente o tecido vai se sujar ou rasgar com facilidade”, explica.

Vanessa conta que o mercado também já disponibiliza tecidos inteligentes e ecologicamente corretos, com a vantagem adicional de serem laváveis. Outra opção, ar arquiteta diz, são os tecidos que passam por um rigoroso tratamento químico, o que confere maior durabilidade e, consequentemente, mais resistência ao produto. Já para as áreas externas, difícil não fugir dos tecidos impermeáveis, próprios para aguentar as mudanças climáticas como sol e chuva. “Devemos ficar atentos quando a composição do ambiente é interessante utilizar um revestimento com tecido bem colorido, com uma estampa legal, e assim, fazer a composição com móveis mais neutros”, finaliza.

Na decoração do Canto da Floresta Ecorsort, em Amparo, no interior paulista, a diretora Maria Fernanda Mesquita Berkovitz optou por tecidos 100% algodão com estampas florais que remetem ao campo. Na área de alimentação foram utilizados dois tipos de tecidos, sendo que o dos quiosques e o bar da piscina são a prova d’água. Nos quartos, os lençóis das camas foram escolhidos em puro algodão com o objetivo de possibilitar o fluxo da energia vital. “Toda a decoração foi pensada seguindo os preceitos do Feng Shui e harmonizada com um estilo rústico-chic, com madeira de reflorestamento, móveis em rattan, cores vibrantes e calmas o que resultou em um local charmoso e aconchegante”, diz.

Deixe uma resposta