Perfil do chef Sauro Scarabotta

Sauro Scarabotta nasceu na Úmbria, cidade vizinha à Toscana considerada o coração verde da Itália. O detalhe geográfico quase explica, por si só, a vocação para a gastronomia, mas só gostar de comida não era suficiente para torná-lo um chef. Ao conhecimento prático adquirido em restaurantes locais, ele somou a teoria ensinada na Escola de Gastronomia de Assis e impôs-se o desafio de levar a gastronomia típica do seu país a outros lugares do mundo.

A escala o levou à Alemanha, ao Japão, Chile e à Argentina, até que, a convite de Giancarlo Bolla, desembarcou no Brasil em 1994. Após três anos trabalhando com Bolla sentiu-se pronto para empreender, e ao lado da esposa, Rita, abriu o Friccò, um charmoso restaurante que começou com apenas sete mesas na Rua Cubatão, na Vila Mariana (SP). O endereço ainda é o mesmo, mas o negócio cresceu e a última ampliação deixou a área com espaço suficiente para as atuais 100 mesas.

O que não coube mais ali foi o talento de Sauro. Apesar das fortes raízes da sua cozinha com o país de origem, sua cabeça está voltada para o mundo. O tempo dedicado ao Friccò hoje ele divide ministrando aulas e conduzindo projetos próprios, que o obrigam a manter-se em dia com assuntos globais e movimentos internacionais, como o slow food, por exemplo, de que é seguidor e fiel representante no Brasil. Exemplo disso é o Piquenique do Friccò, excursões periódicas que Sauro promove em alguma localidade do Brasil levando grupos de 40 a 90 pessoas a mergulharem nos bastidores do processo produtivo alimentar. Durante as viagens, o grupo é levado a visitar plantações e criadouros e conscientizado sobre as etapas que antecedem a industrialização e distribuição dos produtos ao mercado. Tudo termina, é claro, na degustação dos pratos preparados in loco pelo chef Sauro.

Outra atividade que mantém há seis anos é a participação na saída temática Prata All’Italiana, da Costa Cruzeiros, onde ensina e estimula o público a por a mão na massa para confeccionar uma das receitas mais tradicionais do seu país, o Gnocchi. E como esse é o prato que, reza a lenda, tem de ser comido todo dia 29 para atrair sorte, a próxima saída do navio terá um gostinho ainda mais especial porque a apresentação de Sauro vai acontecer exatamente no dia 29 de fevereiro de 2012, que é um ano bissexto. O desafio será preparar uma receita para três mil pessoas e entrar no livro dos recordes com o maior Gnocchi do mundo.

Deixe uma resposta