As funções de cada modelo de copos e taças

Você já deve ter reparado que o mercado oferece uma infinidade de copos e taças – de diferentes tamanhos, formatos, materiais – e pode ter se questionado se essa variedade é realmente necessária para a apreciação dos diferentes tipos de bebidas ou se é apenas para garantir um visual bacana.

O fato é que mixologistas e fabricantes são unânimes ao afirmar que cada modelo tem, sim, a sua devida função. Alguns exemplos bem claros: a taça flute (para espumante) possui haste comprida para evitar que a temperatura da mão aqueça a bebida; formato alongado e boca estreita, características que garantem a permanência dos aromas e das borbulhas no copo. “Por outro lado, a taça ballon (para conhaque) é maior e mais bojuda, formato que possibilita ao consumidor girar a bebida dentro do copo, desprendendo aromas e sabores voláteis, o que melhora a degustação”, explica Marco de La Roche, mixologista e diretor do BCB São Paulo.

Para a professora do curso de Hotelaria da Universidade Anhembi Morumbi (SP), Marina Araújo, além das características olfativas e de paladar que o copo correto é capaz de destacar em uma bebida, o visual também merece atenção. “Um coquetel bem apresentado é fator de decisão na escolha do cliente; seria o famoso “comer (beber) com os olhos”, diz.

Leia a matéria completa na edição 412

Deixe uma resposta