Turismo cresce 28% nas buscas online em junho

Os negócios digitais do turismo no Brasil voltaram a crescer neste último mês de junho, com uma alta de 28% em relação a maio, incluindo OTAs e canais diretos. As informações foram divulgadas em estudo da consultoria Conversion, especializada em SEO e marketing de performance. No ranking dos 50 principais sites de e-commerce, aparecem as agências online Booking e ViajaNet, ambas com 4,516 e 1,603 milhões em tráfego, respectivamente.

De acordo com a pesquisa, que analisou o tráfego dos principais sites transacionais de e-commerce no Brasil a partir de ferramentas de inteligência competitiva digital, o setor online como um todo cresceu 39,7% em junho na comparação com o momento anterior ao coronavírus (fevereiro). Já em maio, os negócios online apresentaram um desempenho ainda melhor quando comparado com a pré-pandemia no País, com aumento de 51% na audiência das lojas virtuais.

No caso do turismo, é a primeira vez, desde o início da pandemia, que o setor registra crescimento, depois de acumular perdas da ordem de 74% entre março e maio. Para o CEO da Conversion, Diego Ivo ainda é muito cedo para dizer que há um grande reaquecimento deste mercado. “Com a reabertura gradativa, é natural que as pessoas não fiquem apenas em casa e procurem novamente as atividades de laser e passeios turísticos”, comenta. “De qualquer forma, com as medidas de quarentena, as pessoas usaram de forma mais frequente a internet para comprar”.

Segundo o executivo, há um grande e irreversível movimento em prol do e-commerce, que tem batido recordes nestes meses de pandemia. “Os novos hábitos, especialmente os de consumir online, se consolidaram entre os consumidores brasileiros”, justifica Ivo.

Crescimento de setores em junho (comparado a maio):

CategoriaCrescimento
Turismo28,06%
Comida0,17%
Outros-0,23%
Casa-1,00%
Eletrônicos-1,98%
Pet-3,11%
Mercado-8,45%
Grande varejo-8,73%
Farmácia & Saúde-9,54%
Moda-11,71%
Importados-11,86%
Educação & Livros-12,90%
Cosméticos-16,67%
Total geral-6,29%

Clique aqui para acessar o estudo na íntegra.

Deixe uma resposta