Três perguntas para Guilherme Paulus

Um dos maiores empresários do Turismo no Brasil, Guilherme Paulus foi o responsável pela criação da gigante CVC e da GJP Hotels & Resorts – rede que hoje controla 10 hotéis próprios -, mas já não atua em nenhum dos dois grupos. Atualmente, Paulus comanda outros negócios no setor, como a construção de condomínios de alto padrão e hotéis boutique. Além disso, é membro do Conselho Nacional do Turismo, 1º vice-presidente do Conselho de Administração do São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB), vice-presidente de Relações Institucionais da ABAV Nacional e presidente do Conselho Deliberativo do Visit Iguassu.

  1. Enquanto não há previsão sobre o fim da pandemia, o setor turístico se vê no impasse de estimular ou não as vendas de pacotes e serviços. Qual é a sua recomendação?
    Estamos em um momento de semi-normalidade, realidade em alguns destinos como Gramado (PR) e Foz do Iguaçu (PR), que estão reabrindo aos poucos. Acredito que será a partir de dezembro que teremos o grande desafio de recebermos nosso cliente com segurança. A retomada virá em fases, primeiramente com os passeios de carro para curtas distâncias, escapadas da cidade para o campo, praia ou montanha. Na sequência, o turismo corporativo, com as empresas voltando a deslocar executivos e ativando eventos. Logo depois, as viagens interestaduais. É uma nova fase e uma nova jornada de compra do consumidor, que vai retomando a confiança. De acordo com pesquisas, segurança já é considerada mais importante do que o próprio destino no planejamento da viagem. É preciso redescobrir e entender o tamanho do bolso do consumidor, apostando nas mídias sociais e no e-commerce.

Leia a entrevista completa na edição 415 (aqui) ou no nosso app, disponível para download na Apple Store e no Google Play

Deixe uma resposta