The Pierre, um ícone em Nova York

Construído originalmente em 1930, hotel é símbolo de luxo e opulência na cidade

POR ALESSANDRA LEITE

Numa localização mais que privilegiada, na 5º Avenida com a 61St street, bem em frente ao Central Park, o The Pierre é uma obra-prima da hotelaria de luxo nova-iorquina. Ao completar 80 anos, o hotel reabriu após um retrofit de US$ 100 milhões que remodelou as áreas comuns, os espaços de eventos, restaurante, bar e seus 189 quartos, 38 suítes e 11 grand suítes.

Inaugurado em 1930, o nome The Pierre foi atribuído em homenagem ao seu idealizador e fundador, Charlie Pierre Casalasco, um empresário do setor de restaurantes que , junto com um grupo de investidores de Wall Street concretizou o seu sonho de criar um hotel com a atmosfera de uma residência. Em pouco tempo, o The Pierre se tornou símbolo de luxo e opulência em Nova York hospedando personalidades e celebridades, como Coco Chanel, Elisabeth Taylor, Frank Sinatra e Bill Gates entre outros.

A fachada do prédio permanece imponente enquanto a elegância do lobby se estende aos apartamentos, mas são os detalhes e mimos que roubam a cena, como os ascensoristas – raros nos dias de hoje, principalmente em hotéis -, e o Jaguar XJ modelo 2012 que circula por toda a área de Midtown até a 14th street. Este é um serviço gratuito, mas não pode ser reservado pelo hóspede, que deve aguardar alguns momentos caso o carro não esteja disponível.

Um espaço que se destaca no hotel entre as áreas sociais é o Two E, um bar moderno instalado onde antes funcionavam algumas salas executivas. A atmosfera cosmopolita, no entanto, não destoa do caráter original da construção. A partir de setembro, uma novidade será a operação de um novo restaurante, o Sirio New York, filial de Las Vegas. Pilotada pelo chef italiano Filippo Gozzoli, a casa trabalhará com um menu inspirado nas cozinhas florentina, toscana e parisiense.

No processo de renovação já concluído, estão as 11 grand suítes, consideradas as maiores da cidade. Criando uma atmosfera tão glamorosa quanto aconchegante, a decoração das suítes prioriza o uso de mobiliário personalizado, com detalhes elegantes como os tecidos de brocados de seda indiana. A suíte presidencial, chamada Tata, fica no 39º andar e oferece uma magnífica vista do Central Park. São 200 m2 de área distribuídos em sala de estar, dois quartos com banheiro, além de uma sala de jantar com copa. O nome foi dado em alusão ao TATA Group, maior grupo empresarial privado indiano com mais de 100 empresas em diferentes segmentos, entre as quais a Taj Hotels Resorts and Palaces, que administra o hotel desde 2005.

Famosa mundialmente pelos seus suntuosos palácios na índia, a rede Taj possui em seu portfólio 93 hotéis, sendo 16 deles em destinos internacionais, como Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Malásia, Butão, Sri Lanka, África do Sul, Zâmbia, Emirados Árabes e Ilhas Maldivas. A rede imprime suas características nos hotéis que administra promovendo a fusão da hospitalidade indiana com os serviços de luxo e proporcionando experiências únicas aos hóspedes. Um diferencial é o apoio às artes, em todas as suas formas. Da sua coleção particular fazem parte peças de artesãos indianos tradicionais e contemporâneos, além de preciosos artefatos de séculos passados. Parte desse acervo está exposto na Galeria de Arte do Taj Mahal Palace, em Mumbai, o hotel flagship da rede, enquanto o restante das obras se distribuem pelos demais hotéis do grupo, como no The Pierre, onde peças de arte adornam o lobby e as suítes.

Mais informações: www.tajhotels.com.

Deixe uma resposta