Sucessão familiar

Mais de 90% do parque hoteleiro nacional é formado por empresas independentes, de gestão familiar. O mesmo pode ser visto em praticamente todos os segmentos econômicos do País. Entretanto, a cada 100 empresas familiares apenas 30 passam para a segunda geração. Destas, somente a metade chega à terceira gestão e só quatro prosseguem entre os negócios da família, como conta Felix Theiss, da consultoria Felix Theiss Associados.

Natural de Blumenau (SC), Theiss conta que no período em que atuou como prefeito – entre 1973 e 1976 – incentivou a construção ou ampliação de seis hotéis na cidade com dez anos de isenção fiscal do IPTU, pela grande geração de emprego que proporcionariam. Desses empreendimentos, atualmente dois estão fechados, um mudou de dono e outro acabou de entrar em recuperação judicial. “Como explicar o destino desses quatro hotéis? Morreram porque não houve uma sucessão familiar”, afirma.

Leia a matéria completa na página 14 da edição 386.

 

Deixe uma resposta