Seis décadas de ABIH em São Paulo

ENTIDADE CONTINUA COMBATIVA NA DEFESA DA PROMOÇÃO HOTELEIRA

Fundada em 1949 e gerida por grandes nomes da hotelaria paulista, a ABIH SP (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de São Paulo) é uma das instituições mais antiga e representativa na defesa da promoção da indústria hoteleira, reunindo estabelecimentos afiliados das mais diversas categorias e portes.

Durante seis décadas, contribuiu não somente para a hotelaria, mas para toda a cadeia produtiva do turismo, que representa mais de 50 setores no Brasil, movimenta mais de US$ 4 bi e cria mais de um milhão de empregos diretos e indiretos. Um exemplo das conquistas foi levar o grande Prêmio de Fórmula 1 de volta para São Paulo, um dos maiores eventos do turismo paulistano, que atrai cinco mil turistas, gerando uma receita superior a R$ 4 milhões.

Hoje, com mais de 400 associados em todo o Estado, a ABIH SP também teve papel político importante ao longo do regime militar no Brasil (1964-1985). “Passamos por um período de exceção muito grande. Os hóspedes estrangeiros, por exemplo, eram fichados na polícia. Nós conseguimos que essas delegacias especiais se transformassem em órgão de atendimento ao turista, não de constrangimento, como naquela época”, ressalta o presidente da entidade, Maurício Bernardino.

Coquetel

Para comemorar os 60 anos, a entidade promoveu um coquetel em novembro, que reuniu importantes profissionais do setor, como Álvaro Bezerra de Mello (presidente da ABIH Nacional), cinco ex-presidente da entidade paulista – Israel Sany, Julio Serson, Antonio Reinalles, Nelson Baeta Neves e Roberto Maksoud – Caio Luiz de Carvalho (presidente da SPTuris) e Nelson de Abreu Pinto (presidente da CNTur).

Na ocasião, também foi lançada uma Câmara Temática da Copa do Mundo 2014, com coordenação da entidade. Sua função será buscar oportunidades para captação de recursos, representar o trade turístico nos eventos realizados em São Paulo, promover workshops, criar canais de comunicação e fomentar políticas integradas com os governos estadual e federal.

Deixe uma resposta