Secult de Minas Gerais faz balanço da pasta em 2020

O secretário de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, apresentou um balanço da pasta em 2020. Segundo o executivo, a agilidade em ações e reestruturação de políticas públicas para reduzir impactos trazidos pela pandemia aos profissionais da Cultura e do Turismo foi um dos destaques da gestão.

“Neste ano, tivemos que adaptar e aprimorar nossas ações, orientando-as para a nova realidade. Buscamos estratégias para fortalecer a economia criativa e utilizar a potência desses dois segmentos, Cultura e Turismo, em direção à retomada do desenvolvimento, para alavancar a geração de empregos e renda no estado”, ressaltou o secretário.

No setor do Turismo, a pasta focou em ações como o programa “Minas para Minas“, que promove a retomada gradual e segura das atividades turísticas no Estado, em consonância com o Plano Minas Consciente. Houve investimento de R$ 3 milhões do Ministério do Turismo para promoção do programa que contempla como segmentos prioritários a cozinha mineira, o turismo cultural, rural, de aventura, de natureza e de experiências.

Além disso, o Destino Minas Gerais conquistou a habilitação do selo internacional Viagem Segura, do Conselho Mundial de Viagens de Turismo (WTTC) por cumprir protocolos sanitários recomendados por autoridades mundiais; e alcançou a posição de terceiro estado com maior emissão de selos “Turismo Responsável – Limpo e Seguro”, do Ministério do Turismo. Mais de 2,2 mil selos foram emitidos até o momento, a maioria para agências de viagem, meios de hospedagem, restaurantes e bares e transportadoras turísticas.

Deixe uma resposta