Presidente do Cetur reforça união do Turismo e empenho do governo para sair da crise

A Cetur (Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade) e a CNC vão promover, ao longo do mês de agosto, sempre às segundas, quartas e sextas-feiras, uma série de lives para falar sobre o setor de Turismo.

A primeira delas aconteceu nesta segunda-feira (3), com o presidente da CNC, José Roberto Tadros, para lembrar os 65 anos de história do Cetur.

Ele destacou a atenção que o país sempre dedicou ao turismo, desde os anos 1950, passando pela época dos militares, que foram grandes incentivadores do setor.

“Depois desses períodos, voltamos a ter crescimento na época de FHC. Hoje lutamos para mostrar que o turismo é fundamental para o país, pois utiliza muita mão de obra e promove uma redistribuição de renda muito grande nos setores de transporte, agências de turismo, restaurantes, hotéis e serviços. Há países que tem a maior parte de seu PIB vindo do turismo. Temos um grande potencial, mas o Brasil pode se desenvolver muito mais nesse segmento”, afirmou.

Turismo como promotor de integração

Durante a conversa, ele ressaltou também a participação fundamental do Sesc/Senac no amadurecimento do turismo brasileiro, através de cursos profissionalizantes realizados pelo Senac, e a democratização do turismo para todos os públicos através das intervenções do Sesc.

“O SENAC tem uma abrangência muito grande na preparação da mão de obra qualificada para o turismo, através de cursos profissionalizantes e faculdades com formações técnicas para o mercado de turismo”, disse.

 Ele lembrou que o SESC inaugurou um novo nicho: o turismo de massa, através do investimento em hotéis no Brasil para atender trabalhadores de poder aquisitivo reduzido.

“Turismo é um direito de todos e ele tem o papel fundamental na integração dos povos. Todos têm direito interagir e devem se conscientizar que são cidadãos do mundo”.

Durante a conversa, o papel social do Sesc/Senac também ganhou destaque, com ações como o Bolsa-Escola, que há vinte anos leva educação profissional e qualidade de vida para a região amazônica.

“Hoje o projeto conta com 84 carretas móveis oferecidas pelo Senac. No SESC, outras 150 unidades móveis fazem o atendimento chegar a todos os cantos do Amazonas. Desde que foi criada, ela já atendeu a 14 mil alunos. O Senac, apenas no ano passado, capacitou cerca de 24 mil pessoas, muitas delas no segmento no Turismo”.

Criando novos empreendedores

A conversa também tocou outros pontos importantes como os planos para a retomada no pós-pandemia e o papel do governo e do Cetur nesse cenário. O presidente do órgão lembrou afirmou que é preciso estar pronto para recuperar rapidamente as perdas e a redução do nosso PIB. E, nesse sentido, ressaltou que vários segmentos ligados ao turismo devem ser lembrados pelos governos, através de incentivos e linhas de crédito, que neste momento são indispensáveis.

“Da mesma maneira que o governo está se preocupando com as companhias aéreas, ele deve se preocupar também com hotelaria. A maior parte dos estados tem cadeias hoteleiras formadas por empresários genuinamente brasileiros”.

Em meio à crise provocada pela pandemia, que afeta os setores de comércio, bens, serviços e turismo causando desemprego, Tadros observou a oportunidade que ela oferece ao segmento de turismo.

“Estamos vivendo um momento difícil, onde a tecnologia tira empregos. Nosso papel é usar a criatividade para transformar os desempregados de hoje em futuros empreendedores para que tenham seus negócios”.

O empresário lembrou que, apesar da crise mundial, comemorar os 65 anos do CETUR reforça a capacidade de se reinventar que o turismo brasileiro tem.

“Confiem na CNC, na nossa capacidade de mobilização. Temos trabalhado muito e, tanto os funcionários como os diretores, estão preocupados em fortalecer as empresas e os trabalhadores do setor de turismo”.

Deixe uma resposta