Poder da internet

BLOGS E COMUNIDADES VIRTUAIS PODEM DEFINIR O SUCESSO DE UM NEGÓCIO

Por Rodolfo Sabino

Segundo pesquisa feita na Europa, no final de 2006, cerca de um terço dos internautas já desistiu comprar algum produto depois de ler opiniões negativas em blogs e comunidades virtuais. Esse estudo, das empresas Hotwire e Ipsos Mori, aponta ainda que a influência dos blogs e comunidades virtuais é maior entre consumidores de alto poder aquisitivo, perfil esse que vem mudando e mostrando que a internet está cada vez mais presente em todas as camadas sociais.

Dados como esses têm colaborado para que as empresas percebam a importância de monitorar o que se diz sobre elas em blogs e comunidades online, pois desses comentários podem surgir tanto reclamações quanto sugestões que podem ajudar a melhorar seus produtos e serviços.
Por exemplo, recentemente tivemos um caso de um fabricante de automóveis, que teve uma grave crise de imagem sobre um de seus modelos que se iniciou na internet e não foi combatida a tempo, e a contrapartida foi O Boticário, conhecida empresa de perfumes, que relançou o perfume One Of US logo depois de monitorar diversas comunidades e redes sociais, entre elas uma chamada Órfãos do One Of Us, em que várias pessoas fãs do perfume descontinuado apareciam como potencias compradores, gerando uma excelente oportunidade de negócio. E a hotelaria pode gozar dos mesmos benefícios e vantagens que muitas das empresas de classe mundial nos demais ramos de atividade já fazem.

Imaginaram a perspectiva de marketing e mídia sobre ter um hotel virtual no Second Life com tudo que tem direito, inclusive, restaurantes e quartos, onde os clientes podem agendar visitas virtuais antes de ir. Ou clientes frequent-travellers que foram convidados e fazem parte de uma comunidade no Orkut ou Facebook em que o seu hotel divulga datas em que a ocupação estará mais baixa a preços especiais. Ou até mesmo promoções relâmpago no Twitter, em que clientes receberiam mimos se fossem almoçar ou jantar no restaurante hoje ou agora! Lembre-se que os jovens executivos de hoje já nasceram conectados, portanto não é exagero se pensar que uma boa parcela também fazem parte de redes sociais como essas que citei.

Só pra ilustrar, a TAM fez um avião virtual no Second Life e muitos se perguntaram para que, se no Second Life todos voam. Pois só para começar a enumerar as vantagens, o total de mídia que ela recebeu foi superior ao investimento nesse caso, e se formos analisar mais ainda, vai desde a percepção de novidade até a sensação de modernidade (99% dos executivos gostam de estar associados a novidades e modernidades).

Imaginem então um fórum ou blog, onde o hotel pode não só comunicar, mas também reverter uma má impressão em um hóspede e inclusive de outros que leiam esta queixa, ao invés do cliente postar ou criar uma comunidade no Orkut chamado “Eu odeio o hotel xxx” e influenciar dezenas, centenas, milhares ou até mais consumidores.

A hotelaria tem um mundo de oportunidades e quem sair na frente de maneira correta tem grandes chances de estampar e fixar sua marca de maneira mais forte na cabeça não só dos consumidores 2.0, mas de todos os outros que são influenciados por eles.

RODOLFO SABINO
Diretor na Brand Management (consultoria de Brand Management, Marketing e Mídias Sociais na Internet), tendo atuado, entre outras, na Gouvêa de Souza & MD e na rede Marriott Hotels. Contato: [email protected]

Deixe uma resposta