O impacto dos protocolos de limpeza na hotelaria

Por Pierre Verbeke

Grandes redes hoteleiras, como Hilton, Marriott, Accor e Kempinsky, lançaram novas iniciativas em relação à limpeza e higiene de hotéis. Ao mesmo tempo que proporcionam segurança e tranquilidade aos clientes e funcionários, também dão a impressão de apresentar respostas de curto prazo para o problema do COVID-19.

Como as medidas da Covid-19 afetarão a experiência do hóspede?

Ele deverá estar pronto para realizar muito mais atividades de pré chegada em seus próprios dispositivos. A tecnologia sem contato será favorecida e o uso de aplicativos intensificado.

As funções do aplicativo já em uso hoje incluem:

  • Abrir a porta do quarto;
  • Substituir o controle remoto da TV e outros comandos na sala, (som, luz, persianas);
  • Substituição dos menus físicos;
  • Chamar a equipe para serviço de mesa e quarto;
  • Reuniões virtuais com colegas ou funcionários do hotel;
  • Troca de mensagens e informações, por ex. mensagens de emergência
  • Reconhecer a presença física nas instalações (também útil por razões de segurança)

Mudanças no quarto do hotel

O hóspede poderá encontrar o quarto lacrado depois que a camareira limpar, para que ele saiba que é a primeira pessoa a entrar. Também pode ser informado sobre os tipos de produtos que foram usados ​​para limpar e desinfetar as superfícies.

Também será possível indicar ao hotel que não deseja que ninguém entre no seu quarto durante a sua estadia. Ele deverá encontrar o controle remoto (TV e ar-condicionado, por exemplo) em uma saco plástico descartável lacrado que garante que ele será o primeiro a tocá-lo após a limpeza.

O menu do mini-bar poderá ter outras produtos, como máscaras, luvas, gel sanitizante à disposição. A roupa de banho pode ser apresentada em sacos descartáveis.

A equipe terá que ser treinada novamente para a importância dessas novas formas de lidar com suas atividades diárias.

Mudanças no restaurante

Menus em exibições de tela, em placas ou por meio de aplicativos, enquanto os talheres, copos e jogos de mesa embalados em sacos descartáveis ​​e lacrados

Mais funcionários presentes e porções individuais de comida individuais em vez de grandes recipientes de comida (estilo buffet).

Chefs reinventando cardápios para se adequar a essa realidade e os clientes entrando no restaurante em uma direção e saindo por outra. Haverá também restrições de número de mesas e pessoas, afetando o layout e design do estabelecimento.

O custo dessas novas medidas?

Seja terceirizado ou não, o valor gasto por quarto limpo com funcionários e produtos é o ponto focal de todos os gerentes de hotel, já que o lucro departamental do hotel é o que impulsiona o GOP (Gross Operating Profit) geral na maioria dos hotéis. Algumas das atividades que serão adicionadas na limpeza (do quarto) vêm com mais minutos gastos por atividade e, portanto, mais custo. O mesmo se aplica ao uso de produtos adicionais. Os hoteleiros que saem da COVID-19 terão pouca ou nenhuma reserva de caixa para absorver esses custos parcial ou totalmente.

Quanto ao custo ambiental … Nos últimos anos, temos visto uma tendência para acabar com as embalagens descartáveis, a ideia é ter mais produtos a granel para o cliente se servir, por ex. distribuidores de comida e bebida. Também optamos por produtos menos impactantes, mais fáceis para os humanos e para o meio ambiente. Essas práticas, infelizmente, podem ter que ser questionadas, uma vez que as novas medidas de higiene afetarão todas as operações hoteleiras, desde grandes hotéis de lazer até pequenos refúgios familiares nas montanhas. O uso de plástico está aumentando e o descarte de EPI está afetando tristemente o despejo de lixo em todos os lugares.


Pierre Verbeke é diretor de serviços de Consultoria em Hospitalidade da EHL Advisory Services


Deixe uma resposta