Monte Verde (MG) usa tecnologia para monitorar fluxo de turistas

A prefeitura de Camanducaia, no sul de Minas Gerais, em parceria com a Agência Desenvolvimento de Monte Verde e Região (MOVE), desenvolveu um sistema para controlar o fluxo de pessoas e a ocupação dos hotéis e pousadas em Monte Verde durante a pandemia.

Todos os meios de hospedagem devem cadastrar as reservas no sistema, informando alguns dados dos turistas como o nome, placa do carro, quantidade de pessoas e as datas de check-in check-out. Quando o visitante chega ao destino, além de medir a temperatura, deverá informar o CPF à vigilância local para checar no sistema a confirmação da reserva.

“Com esse sistema, a prefeitura sabe em tempo real o que está ocorrendo em Monte Verde e auxilia o trabalho das hospedagens. Se necessário, logo na entrada o visitante será barrado, facilitando o trabalho da vigilância. A ideia é conseguir monitorar a quantidade de pessoas na cidade e a lotação de hotéis e pousadas, que só podem funcionar com até 50% da capacidade total de unidades habitacionais”, comenta Rebecca Wagner, presidente da MOVE.

O novo modelo de monitoramento serviu de inspiração para outros destinos turísticos, como Campos do Jordão (SP), São Tomé das Letras (MG) e São José dos Campos (SP). A plataforma foi criada pela startup Mymento, que desenvolve tecnologias para automatizar processos nos destinos turísticos brasileiros.

“Essa tecnologia é importante para controlar e centralizar as informações fundamentais para garantir a segurança. Se fossem feitos manualmente, esses cuidados criariam filas enormes na entrada das cidades”, comenta Johannes Noebels, responsável por desenvolver o sistema.

Deixe uma resposta