Juntos pelo desenvolvimento

Para ampliar a representatividade de seus segmentos, associações atuam para promover mudanças e oportunidades

Por Tatiane almeida

Homens e mulheres de diversas atividades econômicas, culturais e sociais veem no associativismo uma ferramenta para conquistar um objetivo comum. É por meio da ação coletiva que muitas associações conseguem êxito em seus pleitos e com os empreendimentos hoteleiros não é diferente. São dezenas delas, com suas formatações em nível nacional, estadual, regional e grupos de trabalho espalhados pelo Brasil.

Está entre elas a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-Nacional), umas das mais antigas do turismo no País. Fundada em 1936, a ABIH atua como um órgão técnico e consultivo na busca de solução para os problemas do setor. Segundo Enrico Torquato Fermi, presidente da entidade, a ABIH-Nacional conta com quatro mil associados e quer alcançar a marca de dez mil até 2015. “Sabemos que há muito a crescer em um universo de quase 26 mil meios de hospedagem com CNPJ registrados no País. Pouco a pouco, todos percebem que cabe às associações cobrarem resultados junto ao governo, por exemplo, já que investimentos públicos não chegam com tanta antecedência quanto os privados”, diz.

“Atualmente existem ABIHs em cada estado brasileiro, compostas por lideranças em suas presidências e diretorias, gerando grande interação e conquistas em conjunto”, é o que enfatiza Bruno Omori, presidente da ABIH-SP. “Aderir ao associativismo significa participar de ações de relevância para o desenvolvimento do segmento. Prova que estamos no caminho certo foi a escolha da coordenação da Câmara Temática da Copa, que ficou a cargo da ABIH-SP, bem como a presença de dezenas de autoridades e hoteleiros no 1º Seminário Regional de Turismo e abertura da Regional Vale do Ribeira da ABIH-SP”.

Já o Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (Fohb) tem sua atuação centrada em três eixos. De acordo com Flávia Matos, diretora executiva da entidade, são os RDI- representação, desenvolvimento e informação. “Eles resumem os principais benefícios que a entidade oferece a seus associados. No eixo representação, os associados contam com o Fohb como o seu principal interlocutor junto ao governo, sobretudo no âmbito federal, tanto nos níveis do Executivo como do Legislativo e até do Judiciário”. 

Flávia explica que no eixo desenvolvimento, os associados contam com grupos de trabalho, nos quais podem compartilhar boas práticas e problemas enfrentados em suas operações e trocar experiências com líderes de cada setor. No eixo informação, os associados têm acesso e apoiam a realização de uma série de pesquisas e estudos que avaliam o desempenho da hotelaria no Brasil.

Outra entidade com foco na hotelaria, a Associação Brasileira de Resorts (Resorts Brasil) foi criada por executivos que atuavam na linha de frente do negócio “resort”, seja em áreas comercial, de marketing, e comunicação, entre outras. “Esse perfil voltado para o mercado permanece, sem que a Resorts Brasil tenha deixado de incorporar ao longo dos anos o foco na representação institucional, que lhe valeu um lugar entre as principais entidades do segmento turístico, participando com suas congêneres das discussões com as autoridades para o avanço do turismo no Brasil”, relata Daniel Guijarro, presidente da Resorts Brasil.

Sobre os benefícios, Guijarro destaca que a Resorts Brasil propicia ao associado o intercâmbio de boas práticas e a realização conjunta de eventos de qualificação para públicos-alvo, campanhas voltadas para o cliente final, parcerias comerciais e outras iniciativas. “Além do foco no comercial, a entidade tem atuado em áreas como recursos humanos e operações”, completa.

Desafios do associativismo no Brasil

“Existe consciência associativista, mas falta engajamento efetivo”, dispara Enrico Fermi. É necessário sim, na opinião do executivo, que o clichê “da união faz a força” seja definitivamente valorizado. As dificuldades, segundo o presidente da ABIH-Nacional, só podem ser superadas se as associações estiverem compostas por lideranças.

Outro ponto ressaltado pelo dirigente é sobre a cobrança de mensalidade. A associação deve ser transparente nos investimentos em prol do associado, assim como sobre seu desempenho nos processos internos.  “Não há uma alternativa ao associativismo, a não ser ficar sozinho. A questão crucial é o envolvimento e o interesse pelas mudanças imprescindíveis nos segmentos de hotelaria, turismo e eventos”. 

Especificamente no mercado de turismo, Flávia acredita que há um cenário de grande fragmentação. “O trade é extremamente variado e composto por muitas empresas, de diferentes portes e setores específicos de atuação, o que acaba por dificultar o equilíbrio de interesses em comum. Ainda assim, as entidades representativas do trade turístico brasileiro têm evoluído gradativamente, fortalecendo cada vez mais a unidade do setor”, afirma a diretora do Fohb.

Na visão de Guijarro, a Resorts Brasil também tem conseguido vencer os desafios ao longo de sua existência. “Todo associativismo é algo a ser levado a sério e requer muita dedicação no desenrolar da atividade. O maior desafio é exercer a representatividade de forma que esta seja reconhecida por todas as esferas da sociedade (governo, sociedade civil, etc.), e partir daí torná-la uma referência para o mercado”.

Conquistas

Mesmo com tantos percalços, as associações descrevem pontos positivos. Para a diretora do Fohb, entre as contribuições do Fórum para o setor hoteleiro, destaca-se a atuação no período pré, durante e pós Copa do Mundo 2014. “Desenvolvemos nesse período diferentes estudos para identificar a previsão de vendas em cada cidade-sede, acompanhar as taxas de ocupação, jogos mais atrativos, ranking das cidades com maior procura etc. Com isso, colaboramos com entidades ligadas ao turismo, com o planejamento e divulgação de informações relevantes ao consumidor e ao Governo Federal, principalmente por meio do Ministério do Turismo para a Copa do Mundo”.

A primeira conquista da Resorts Brasil, segundo Guijarro, foi caracterizar o resort como um produto de qualidade no mercado consumidor do turismo. “Se o hoje o Brasil percebe o conceito do que é um resort, grande parte disso vem do trabalho da Resorts Brasil”, afirma. Após a realização da Copa do Mundo, em que alguns dos resorts associados receberam delegações e o setor como um todo viveu o impacto positivo da presença do estrangeiro no País, a Resorts Brasil volta-se para esta retomada do turista estrangeiro como uma de suas prioridades.

Uma conquista, mencionada pelos presidentes da ABIH-Nacional, ABIH-SP e Resorts Brasil, foi a participação com outras entidades, do pleito do setor hoteleiro para a desoneração fiscal da folha de pagamento, sob o regime do Programa Brasil Maior.  Aprovada em julho de 2012 pela Medida Provisória 563, a inclusão dos resorts no Brasil Maior está em vigor desde o dia 1º de agosto daquele ano e tem sido de grande valia para a boa performance dos associados, que assim tiveram mais fôlego para voltar a investir e se tornarem mais competitivos”, diz Guijarro.

Nesse balanço, o presidente da ABIH-Nacional diz que além da desoneração fiscal da folha de pagamento, muitos outros pleitos precisam chegar ao Poder Público. “Isso só será possível com trabalho em sinergia. A hotelaria brasileira é o maior pagador de impostos do mundo, temos uma diária onerada e gastamos um valor enorme com energia elétrica, o segundo item de maior custo no hotel. Todos esses fatores precisam de soluções”.

Sindicalismo empresarial

De acordo com Alexandre Sampaio de Abreu, presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), vinculada a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo – CNC, a representatividade da entidade é diferenciada, visto que se trata de uma federação que reúne sindicatos patronais constituída com a finalidade de coordenação, defesa administrativa, judicial e ordenamento dos interesses e direitos dos empresários da categoria e atividades congregadas.

“A principal vantagem do sindicato frente às associações de classe é que a vinculação é obrigatória, pois temos, por exemplo, que lidar com convenções salariais todos os anos e dialogar com os colaboradores periodicamente”, explica. A contribuição é instituída pela Lei 6.386/76 e prevista nos artigos 579, 580 e 591 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.

Sampaio destaca que as entidades que militam nesses segmentos devem questionar os reais problemas dos empresários, que são compostos, em sua maioria, por micro e pequenas empresas. Sobre a atuação da Federação, o presidente cita a conquista de vários objetivos, como a inserção da hotelaria no Brasil Maior e a participação na regulamentação da nova lei do Direito Autoral. “A Federação também esteve envolvida em ações pré e durante Copa Mundial 2014, participando de mesas de diálogos no governo. Atuamos, inclusive, na prevenção de greves, principalmente em destinos como Salvador, Manaus e Curitiba”, arremata.

Conheça mais sobre as associações hoteleiras do Brasil:

Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – ABIH- NacionalFundação: 9 de novembro de 1936Presidente: Enrico Fermi TorquatoDiretoria: A diretoria executiva é composta pelo presidente, vice-presidente, e mais três diretores, sendo um administrativo, um financeiro e operações, com os respectivos substitutos, eleitos pela Assembleia Geral dentre os representantes das associações filiadas para o mandato de dois anos, sendo permitida uma reeleição consecutiva.Atuação: Atua como um órgão técnico e consultivo na busca de solução para os problemas do setor, além de ter a missão de fortalecer as relações institucionais com os poderes públicos, tanto na esfera do Executivo quanto na do Judiciário e do Legislativo.Abrangência: NacionalNúmero de associados: 4 milContribuição: A entidade recebe um repasse das ABIHs Estaduais, conforme o número de associados que cada uma possui.Site: www.abih.com.br – com links para todas as ABIHs Estaduais.

Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação – FBHAFundação: 1955Presidente: Alexandre Sampaio de Abreu Diretoria: Cada sindicato elege um conselheiro, que formam um colégio para eleição da diretoria, com mandato de quatro anos.Atuação: A FBHA é uma entidade sindical patronal constituída com a finalidade de coordenação, defesa administrativa, judicial e ordenamento dos interesses e direitos dos empresários da categoria e atividades congregadas.Abrangência: NacionalNúmero de associados: 66 sindicatos filiadosContribuição: O valor da contribuição sindical, para os empregadores, será em importância proporcional ao capital social da empresa, registrado nas respectivas Juntas Comerciais ou órgãos equivalentes. O valor é pago uma vez ao ano, no mês de janeiro.Principais benefícios: Assessoria jurídica, assessoria parlamentar, que acompanha junto ao Senado Federal e à Câmara dos Deputados, leis e emendas parlamentares que influenciam diretamente nos negócios ligados ao setor, parcerias realizadas com entidades públicas e privadas estaduais e federais que geram projetos com benefícios diretos as empresas associadas, cursos de aperfeiçoamento, qualificação e aprendizagemSite: www.fbha.com.br

FOHB – Fórum de Operadores Hoteleiros do BrasilFundação: 2002Presidente: Roberto RotterDiretoria: É eleita em assembleia geral é composta por seis membros; pelo Conselho Consultivo, formado por até seis membros; e pela Assembleia Geral. Os cargos que a compõem são: presidente, vice-presidente administrativo financeiro, vice-presidente de relações institucionais, vice-presidente comercial, vice-presidente de RH e responsabilidade socioambiental e vice-presidente de tecnologia da informação.Abrangência: NacionalAtuação: O Fórum representa grandes redes hoteleiras no Brasil, com a missão de contribuir para o desenvolvimento do setor, auxiliando na normatização e sistematização da classe e do mercado hoteleiro em geral.Número de associados: São 25 redes associadas, que somam 600 hotéis e 97 mil UHs em todo o território nacional.Contribuição: Os associados pagam cotização mensal composta por um valor base por mês e taxa de entrada é paga uma única vez no ato da afiliação. Os valores não são abertos para divulgação.Principais benefícios: Disponibiliza aos associados estatísticas, pesquisas e estudos produzidos pela entidade e consultorias parceiras no Brasil e no exterior, como o Panorama de vendas da Copa do Mundo da FIFATM Brasil 2014, estudo sobre a ocupação dos hotéis das redes associadas ao FOHB nas 12 cidades-sede do evento.Site: www.fohb.com.br

Associação Brasileira de Resorts – Resorts BrasilFundação: 5 de dezembro de 2001Presidente: Daniel GuijarroDiretoria: A entidade realiza eleições a cada biênio. A última diretoria foi eleita para o período de 2014 a 2015. As eleições podem ocorrer por voto ou aclamação.Abrangência: NacionalAtuação: Sua missão é fomentar a performance dos resorts brasileiros, desenvolvendo a representatividade através de sinergia e parcerias, disseminando a informação e posicionando-os como referência em serviços e benefícios.Número de associados: 49 resorts associados, com 13.194 UH’s e presença em 13 estados brasileirosFaturamento anual em 2011: R$ 1,57 bilhão.Contribuição: Os interessados devem consultar a entidade.Principais benefícios: Oportunidades de network, informações disponibilizadas no site da entidade, acesso a informativos, relatórios e pesquisas produzidas pela Associação.Site: www.resortsbrasil.com.br

ABG – Associação Brasileira de Governantas e Profissionais de HotelariaFundação: Dezembro de 2003Presidente: Maria José DantasAbrangência: Nacional, com cinco núcleos regionais formados por Rio de Janeiro, Fortaleza, Salvador, São Paulo e Florianópolis.Atuação: Acompanhar a evolução e o dinamismo da indústria hoteleira como entidade representativa de uma categoria profissional conhecedora do setor e, que pretende se impor na condução de projetos e ações vinculadas ao seu compromisso de participar do desenvolvimento da hotelaria do país.          Número de associados: 1,2 milContribuição: Anuidade no valor de R$ 120Principais benefícios: Permissão para cadastrar e atualizar o currículo no banco da ABG, que é consultado por empresas mantenedoras, filiadas e parceiras da entidade, apoio para recolocação e desconto e gratuidades nos eventos patrocinados e/ou promovidos pela ABG, bem como em treinamentos in company promovidos pelas empresas parceiras.Site: www.abgnacional.com.br

Associação Brasileira de Empresas de Eventos Abeoc NacionalFundação: 15 de janeiro de 1977Presidente: Anita PiresDiretoria: No último ano de cada gestão é realizada Assembleia Geral para eleição do Conselho Diretor Nacional, composto por oito integrantes para mandato de três anos e permanência nos cargos até a posse dos respectivos sucessores. Os integrantes podem ser reeleitos apenas uma vez consecutivamente para o mesmo cargo, com exceção ao cargo de presidente.Abrangência: NacionalAtuação: Coordenar, orientar e defender os interesses de suas associadas, representadas por empresas organizadoras, promotoras e prestadoras de serviços para eventos, cadastradas no Ministério do Turismo.Número de associados: presente em 12 Estados, com 500 empresas – sendo que a Abeoc-SP conta com 80 associados.Contribuição: Mensalidade de R$ 150Principais benefícios: Utilização da logomarca da ABEOC na folheteria, site e outros meios de divulgação como empresa associada, representatividade política e institucional e oportunidade de participar do Projeto de Qualificação em Gestão e Certificação de Micro e Pequenas Empresas de Eventos, uma parceria com o SEBRAE, e se candidatar para o Selo de Qualidade Abeoc Brasil.Site: www.abeoc.org.br

Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – AbraselFundação: 1986Presidente: Paulo Solmucci JúniorDiretoria: O Conselho Nacional é coordenado por um presidente e vice-presidente eleitos para um mandato de três anos. A recondução consecutiva é permitida apenas uma vez.Abrangência: NacionalAtuação: Representar e desenvolver o setor de alimentação fora do lar, promovendo ações que contribuam para o crescimento sustentável do Brasil.Número de associados: 5,8 milContribuição: A contribuição mensal dos associados da Abrasel-SP, por exemplo, é de cerca de R$ 120,  dependendo do tipo de estabelecimento. Os valores das demais devem ser consultados conforme o Estado.Principais benefícios: Estão entre os benefícios oferecidos aos associados, que variam conforme a estrutura e porte de cada seccional, assessoria jurídica, assessoria contábil, cursos dentro do Programa Qualidade na Mesa e participação em eventos promocionais como o Brasil Sabor e os festivais Sabor que acontecem nos estados.Site: www.abrasel.com.br

Deixe uma resposta