Latino-americanos vão planejar suas viagens individualmente, diz pesquisa

A Interamerican Network e o Conselho de Turismo da FecomercioSP realizaram a segunda edição da pesquisa O Novo Viajante. A sondagem foi realizada com 833 participantes do Brasil, México, Colômbia, Chile, Argentina e Peru, de 26 de outubro a 9 de novembro de 2020.

Na primeira edição da pesquisa, realizada em junho de 2020, 46% dos respondentes dos países pesquisados declararam que planejam fazer uma viagem ainda neste ano. Devido à proximidade com o fim do ano e continuidade da pandemia, o índice caiu, agora, para 23%.

A opção mais escolhida (26%) foi a de viajar somente quando houver uma vacina amplamente disponível. No entanto, há um equilíbrio ainda entre pessoas que se sentirão seguras em viajar somente no primeiro (21%) ou no segundo (22%) semestre de 2021.

Entre as tendências, 27% disseram pretender resolver a viagem com, pelo menos, seis meses de antecedência, mas em geral, três meses de antecedência foi a segunda opção mais votada (21%). Organizar a viagem sozinho, diretamente com hotéis, companhias aéreas e outras empresas, segue sendo a opção mais escolhida na América Latina (58%), com aumento de 13 pontos porcentuais em relação a junho.

Na média do continente, agentes de viagens foram a segunda opção mais votada (28%), muito à frente das OTAs (7%). Quando perguntados em quais circunstâncias comprariam com agentes, 45% mencionaram pacotes completos, com hotel, passagens, passeios e atrações. Destinos dentro do próprio país continuam em primeiro lugar na preferência, ainda que tenham passado de 60%, em junho, para 47%, em outubro. Europa continua em segundo lugar, mas crescendo de 14% para 21%.

“O viajante está acostumado a pedir o auxilio do agente quando vai para um lugar que não se sente seguro, seja pelo idioma ou legislação, mas não em viagens domésticas exatamente. Com isso, surge uma oportunidade de comunicação para mostrar que o agente pode fazer uma seleção mais adequada a cada perfil nessas viagens mais curtas, que podem estar fora do radar do consumidor”, avalia Mariana Aldrigui, presidente do Conselho de Turismo da FecomercioSP.

Viajantes brasileiros

No Brasil, o índice de pessoas que diz querer viajar, ainda em 2020, foi o mais alto em toda a América Latina, com 34%. Entretanto, 53% ficam preocupados se os destinos escolhidos têm políticas de segurança sanitária e se não são lugares que atraiam aglomerações. Além disso, 21% disseram se preocupar com flexibilidade, caso haja necessidade de alteração de planos de viagem.

Com a restrição da entrada de brasileiros nos Estados Unidos e na Europa, 51% dos entrevistados responderam que desejam viajar pelo Brasil e 70% disseram que pretendem organizar os detalhes da viagem sozinhos. As viagens estão sendo programadas, em sua maior parte (28%), com seis meses ou mais de antecedência. Além disso, 70% disseram pretender organizar os detalhes da viagem sozinhos, diretamente com hotéis e empresas aéreas.

Clique aqui para ver o estudo na íntegra.

Deixe uma resposta