Interação com Tablets e Smartphones

A era digital chegou para ficar também na hotelaria e na gastronomia

Definitivamente, a tecnologia vem ganhando espaço pelo mundo. No Brasil, por exemplo, as vendas de celulares e smartphones passam o número total de habitantes. Segundo dados da Anatel, em novembro de 2011 havia 236 milhões de linhas móveis em um país com pouco mais de 190 milhões de pessoas, de acordo com Censo do IBGE, de 2010.

A utilização de apps – aplicativos criados especificamente para smartphones e tablets – cresce também nos ramos hoteleiro e gastronômico. Muitos estabelecimentos no Brasil e no mundo estão utilizando essas poderosas ferramentas para incrementar a oferta de comodidades e benefícios aos hóspedes e aperfeiçoar seus serviços, seja de entretenimento e lazer, segurança ou conforto.

Na última edição da feira Hotelympia, realizada em fevereiro, em Londres, discussões acerca desse assunto apontaram um consenso geral de que os dispositivos móveis vão continuar a proliferar e que veremos um crescimento no número de aplicações para o setor da hospitalidade. “Essa é uma tecnologia relativamente barata e ao mesmo tempo muito consistente. As novas aplicações serão mais simples, terão versões com softwares tradicionais e dados mais leves, para que sejam mais eficazes em dispositivos portáteis”, disse Mike Conyer, diretor do Restaurant Diary, empresa especializada em desenvolver sistemas de reservas para restaurantes.

Para Simon Burgon, diretor da agência de desenvolvimento de apps, 360R, o tempo de permanência do usuário em um aplicativo é quatro vezes maior do que em um site tradicional. “Nesse sentido, quando baixam um app, é como se carregassem a marca da empresa para todos os lugares”, afirmou. O diretor acrescentou ainda a importância de disponibilizar os aplicativos gratuitamente. “As companhias têm de pensar que os apps estão se tornando tão importantes quanto o site em termos de interação com os clientes”.

Mesmo com tantos benefícios, a tecnologia pode trazer algumas armadilhas para as empresas, como ressaltou a proprietária da Pampas Marketing, Pamela Carvell. “Agora ficou simples clientes comentarem sobre os estabelecimentos em blogs e redes sociais. Com o uso de dispositivos móveis, como tablets e smartphones, as pessoas podem tirar foto de um prato e postar na internet enquanto ainda estão na mesa de jantar, por exemplo”, disse.

Inúmeras possibilidades

Entre as opções de aplicativos que podem ser inseridos na hotelaria e na gastronomia está o cardápio digital, hoje adotado por muitos bares e restaurantes, como o Le Bar, Plaza Athénée, em Paris, que apresenta sua lista de bebidas em um aplicativo para tablet. Além de oferecer as opções de bebidas e coquetéis do estabelecimento, o cardápio high tech disponibiliza um jogo estilo caça níqueis com o qual o cliente pode ganhar drinks ou snacks exclusivos.

Vários estabelecimentos brasileiros também aderiram à tecnologia, como a Mercearia do Francês e o Bar La Petite, ambos na capital paulista, e estão equipados com tablets para consultas virtuais de vinhos e harmonizações dos pratos através da rede social Wine Tag, especializada no assunto. Com o serviço, que serve como suporte na ausência de um sommelier, os apreciadores de vinho poderão acessar informações como valor e ficha técnica de cada rótulo. “Outro recurso disponível é a inclusão de novos dados pelos clientes. Se alguém tiver interesse em registrar sua opinião sobre algum tipo de vinho e recomendá-la, haverá espaço. Basta cadastrar nome e email no próprio tablet”, diz o sócio da unidade Perdizes, Genildo Araujo.

Opinião também é muito bem-vinda nas unidades Best Western Vivá Porto de Galinhas e Solar Porto de Galinhas, ambas em Pernambuco. Lá tablets estão disponíveis para que os hóspedes efetuem os comentários em relação à estada. “O aparelho tem um ícone com o link plugado diretamente ao sistema Best Western ou ao Trip Advisor”, explica Maurício Escobar, do departamento comercial dos hotéis. O executivo diz que também está disponível a realização do chek-in através do Facebook e que em breve haverá fotos de passeios e dos principais atrativos do destino. “O objetivo com essa medida é substituir os comentários nos formulários impressos e oferecer uma opção mais fácil durante a espera do transporte ao aeroporto”, conclui.

Comodidade também é palavra de ordem no Paradisus Palma Real, na República Dominicana, que desenvolveu um aplicativo com informações sobre tudo o que é oferecido no hotel, como atividades diárias na piscina, praia, vilas, bares e recepção, além de facilidades e serviços, informações sobre as quadras de esportes e também o YHI Spa. “A ferramenta possibilita checar informações e realizar reservas de espaços, como as quadras, e agendamento das atividades. Acredito que com isso estamos mais afinados com o perfil dos nossos clientes”, ressalta Michel Albahari, gerente de Marketing da unidade.

Na rede Sofitel, além das reservas, que podem ser feitas por dispositivos móveis, os clientes têm à disposição revistas e jornais digitais do mundo inteiro, além de games, guias de turismo, previsão do tempo, companhias aéreas, entre outras informações. A unidade Copacabana (RJ), por exemplo, possui tablets nos apartamentos sem custo adicional para acesso à internet. Esse serviço, no entanto, está disponível apenas para os hóspedes do Club Millésime, conceito de serviços criado para quem busca exclusividade no atendimento disponível em alguns apartamentos do hotel.

Outro empreendimento que decidiu investir nessa tecnologia foi o Grand Estanplaza São Paulo. Os hóspedes das suítes corporativas, localizadas no lounge vip do 16º andar, têm à disposição tablets com aplicativos instalados, como os maiores jornais do mundo, previsão do tempo, cotação de moedas, entre outros de interesse desse público. Na unidade, a primeira hora de internet de alta velocidade é gratuita.

Com o objetivo de aumentar a interação com os clientes, o Arena Copacabana Hotel, também no Rio de Janeiro, dispõe de tablets desde 2010 para apresentar opções de passeios e também pratos do menu do restaurante. Assim como o Jordão Bar, localizado em São Paulo, que substituiu o trabalho dos garçons à moda antiga pelo serviço digital com a instalação de 42 tablets nas mesas. Os aparelhos ficam ligados em tempo integral com informações sobre os pratos, fotos e características dos produtos. Além disso, quando o cardápio não está sendo usado, o cliente pode assistir vídeos de curiosidades, obter dicas de viagens e moda, apresentação de charges descontraídas e notícias.

Quem pensa que a inovação acaba por aqui está enganado. Atualmente, existe uma série de aplicativos que possibilitam abrir portas com o celular, dispensando as tradicionais chaves ou cartões magnéticos, e até preparar um banho remotamente, basta ligar e a banheira prepara tudo sozinha.

Deixe uma resposta