Hotéis são considerados serviços essenciais no plano Minas Consciente

Desde a última quinta-feira (28), os hotéis e similares passaram a fazer parte do rol de serviços essenciais, após integrar a onda verde do plano Minas Consciente, projeto que define protocolos sanitários para a retomada de diversos setores na cidade mineira. A decisão foi tomada após apresentação de parecer técnico do Comitê Extraordinário Covid-19 do Governo de Minas Gerais em uma reunião que ocorreu no dia anterior.

A união de forças entre a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas gerais (SEDE), a Secult, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) e o Comitê Extraordinário Covid-19 resultou na liberação de protocolos do Minas Consciente, que permitam que o setor do turismo volte gradativamente às suas atividades com a garantia da segurança à saúde de todos os envolvidos. A retomada do turismo inclui também o retorno dos serviços de hotelaria.

Serviços de primeira necessidade

A relevância econômica do setor de turismo para o Estado de Minas Gerais e a capacidade de adaptação da rede hoteleira local no que se refere à higienização e respeito ao distanciamento social foi fundamental para a participação no plano Minas Consciente.

O Comitê enxerga os serviços de hospedagem como um instrumento de combate ao contágio do coronavírus, apresentando alternativas aos profissionais da saúde que estão na linha de frente no combate à pandemia. O secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, explica que existe diálogo permanente com a Secretaria de Saúde para que tudo aconteça da forma mais segura.

“Consideramos um avanço conseguir fazer com que o setor de hotelaria saia da onda vermelha, que representa atividades de alto risco, para a onda verde, que reúne os serviços essenciais. Isso significa o início de uma retomada que está sendo muito bem planejada pela Secult, que está avaliando as demandas recebidas de entidades representativas e parceiras da pasta”, afirma.

O secretário adjunto da SEDE, Fernando Passalio, explicou a importância do mercado hoteleiro da seguinte forma: “A sociedade passou a ter mais consciência sobre a importância do isolamento e reconheceu que a demanda do setor hoteleiro abre espaço para o desenvolvimento de outras cadeias essenciais da economia. Só com o funcionamento pleno dos hotéis vamos conseguir atender as necessidades de médicos e outros profissionais que prestam serviços essenciais”, afirma Passalio.

O protocolo Minas Consciente estabelece que os municípios mineiros têm total autonomia para decidir sobre a adesão ao plano, seguindo corretamente os protocolos sanitários e orientando os empresários quanto a eles.

Foto de capa: Franciane alestri Fran / Pixabay

Deixe uma resposta