Fernando de Noronha dá início ao planejamento de reabertura aos turistas

A Ilha de Fernando de Noronha está fechada ao público desde março e, passados três meses desde o início da pandemia, a administração começa a se movimentar para reabrir o local para os turistas. Para que isso aconteça, as associações locais e o setor turístico foram chamados para debater sobre as operações de segurança do local.

O primeiro passo foi criar um email ([email protected]) para envio de sugestões, a partir dos quais será criado um protocolo de boas práticas que os estabelecimentos devem adotar para garantir a saúde dos usuários, os protocolos de higienização e segurança no arquipélago e outros detalhes de operação em todos os setores econômicos da ilha. As ações estão alinhadas com o grupo de matriz de risco do Governo do Estado, que tem a participação da administração distrital, das secretarias Estadual de Saúde e de Desenvolvimento Econômico, além da empresa de consultoria Deloitte.

“O turismo pós-Covid será reinventado. Mas não vai ser fácil para ninguém idealizar como isso acontecerá. Nenhum lugar do Brasil consegue mostrar com clareza e objetividade como será retomado o turismo. Por isso, abrimos esse debate entre as associações e órgãos para que se juntem a nós e criemos um protocolo de retomada do turismo setorizada para cada ambiente”, comenta Guilherme Rocha, administrador do arquipélago.

Ele ressalta que as autoridades locais terão que repensar algumas práticas que estavam sendo adotadas antes da crise no setor de saúde e na exploração do turismo, adotando agora políticas para o controle na entrada de turistas e a capacidade de carga no Porto de Santo Antônio.

“Daqui para frente queremos um turismo e consumo diferentes, para podermos tanto oferecer uma boa experiência ao visitante, além de infraestrutura adequada aos moradores do arquipélago. Vamos preservar ainda mais a ilha, respeitando os seus limites e também oferecendo uma boa qualidade de vida para quem vive em Noronha”, explica Guilherme.

Combate à pandemia e foco na sustentabilidade

Desde março, a ilha ficou fechada para a entrada de turistas e, consequentemente, os moradores locais ficaram impossibilitados de trabalhar. Diante da situação de vulnerabilidade, os residentes do arquipélago receberam cestas básicas vale gás, peixes, além do estímulo à agricultura familiar. As ações direcionadas à população foram complementadas com medidas diretas de combate ao coronavírus, o que possibilitou a ilha controlar a doença, sendo o primeiro lugar do país a zerar os casos da Covid-19. Alguns moradores que estavam no continente retornarão ao arquipélago neste sábado (13).

O gestor do arquipélago destaca a importância da sustentabilidade para o retorno das atividades turísticas, focando ainda mais nas ações de cuidado com o meio ambiente. “Nós temos políticas públicas sustentáveis, como o Noronha Carbono Zero e o Noronha Plástico Zero. Também estamos investindo na infraestrutura, com obras nas vicinais, drenagem, impermeabilização, terraplanagem das vias e iluminação de LED, que já está sendo finalizada.  São obras tanto na infraestrutura como políticas públicas sustentáveis que precisamos colocar em prática, desenvolvendo o turismo sustentável na ilha daqui para frente”, finaliza.

Deixe uma resposta