Fabrizio Matsumoto – Do quebra-galho ao sucesso

Chef largou a música para assumir facas do geiko-san

‘Ser simples e não ter frescura, porque a vida por si só já é muito complicada’. Essa é a dica do jovem chef de cozinha Fabrizio Yoshimitsu Matsumoto, sócio do restaurante japonês Geiko-San, localizado no bairro paulistano dos Jardins.

Nascido em São Paulo no dia 11 de novembro de 1980, casado e pai de dois filhos, Fabrizio conta que não imaginava se apaixonar pela cozinha, mas enquanto estava à espera de seu primogênito teve arrumar um trabalho extra para complementar a renda de músico (Matsumoto foi baterista de uma banda de MPB).

“Foi aí que surgiu a gastronomia na minha vida. Meu primeiro trabalho formal foi em 1999 em um restaurante fast food da família Nagayma localizado no Shopping Iguatemi (SP)”, conta o chef, que mantém a música como hobby, mas anda sem tempo para praticar por conta do trabalho.

Tanta correria tem um propósito, Fabrizio já prepara a expansão da marca com novas unidades em São Paulo (SP) e em Belo Horizonte (MG), além de sua grande aposta, uma casa na zona sul do Rio de Janeiro (RJ), idealizada de olho na vida saudável dos cariocas que, para ele, tem tudo a ver com comida japonesa.

Além dos novos restaurantes, o empreendedor quer ampliar o número de eventos que promove com a Geiko-San By Fabrizio, que leva a culinária japonesa tradicional do restaurante para festas particulares ou pequenas comemorações. “Atendemos menus para eventos de todos os portes, desde jantares íntimos na casa do cliente até casamentos e festas com um grande número de convidados”.

Escola da vida

Autodidata, Fabrizio conta que o restaurante Nagayama, onde trabalhou por 13 anos, foi sua grande escola. “Não fiz nenhum curso de gastronomia. Comecei a estudar Administração de Empresas, mas tive que parar para tocar a minha empresa de eventos. Foi no Nagayama que aprendi muito do que faço atualmente”, diz.

Segundo o chef – para quem o maior desafio da profissão é acompanhar as novas tendências -, entre os diferenciais do Geiko-San, os ingredientes estão em primeiro lugar. “Para mim, o que mais importa é a qualidade do produto”, afirma Matsumoto.

No menu do Geiko, apresenta a transformação de matérias-primas em entradas, especialidades, combinados, sushis, sashimis, makis & rolls, temakis, vegetarianos e sobremesas. As releituras de clássicos também aparecem em drinks que fogem do comum e propõem novas experiências.

O prato mais pedido, segundo Matsumoto, é o ‘Sushi de salmão com azeite trufado, raspas de limão siciliano e flor de sal’, criado quando ainda trabalhava no Nagayma e que hoje está no cardápio dos melhores japoneses de São Paulo.

Bate-bolaUma música: Stars, do Simple RedUma bebida: suco de melancia com gengibreUm sabor: UmamiUm doce: chocolateUm prato: baião de doisUma qualidade sua: dizem que sou simpáticoUm defeito seu: sou muito ansiosoOs mestres: Alex Atala e Joël Robuchon

 

Deixe uma resposta