Encontro de Turismo aposta na diversidade do Brasil em edição online

Na última quarta-feira (9) aconteceu a 7ª edição do Encontro de Turismo, em formato online devido à pandemia de Covid-19 e transmitido diretamente da Mansão de Santa Teresa, no Rio de Janeiro. A apresentação ficou a cargo de Guilherme Guimarães, presidente da Brazil Concierge e idealizador do evento, ao lado de Rosane Lucas, reitora da UNICON (Universidade Corporativa de Concierges).

O evento foi marcado pela frase de positividade “o turismo vai continuar” e da parceria com embaixadores da causa social da Smile Train, instituição que possibilita cirurgias reparadoras de fissura labiopalatina. Os painéis com especialistas foram intercalados com os vídeos que mostraram os atrativos turísticos e a diversidade do Brasil, em todas as regiões, além de recados de estrangeiros que amam o País.

Carolina Stolf, diretora de Vendas do Pullman e Grand Mercure Vila Olímpia, além da área Luxe da Accor em São Paulo, fez um balanço sobre o novo momento. “Os turistas vão priorizar hotéis e destinos pautados no propósito de solidariedade e sustentabilidade, além daqueles que seguem todos os protocolos de segurança e higiene para uma viagem segura. Antes valores agregados, agora estes aspectos são motivadores da escolha do produto”.

Com as restrições de viagens no Exterior, a bola da vez são os roteiros domésticos, que englobam os trechos rodoviários. De acordo com o head de Parcerias e Canais de Vendas B2B da ClickBus, Marcel Bianchi, o setor ganhará muita força neste momento. “Para conhecer o Brasil da maneira que ele é, a melhor opção é viajar pelas rodovias. Temos mais de 6 mil agentes de Turismo que comercializam passagens de ônibus com a nossa tecnologia, diretamente ou indiretamente, e mais de 4 mil destinos na base. O desafio agora é catalisar a modernização da experiência do viajante”.

Importância dos grandes eventos

Muito mais que entretenimento, a realização de eventos tradicionais nos destinos também pode funcionar como ferramenta de marketing, até mesmo internacionalmente. O carnaval do Rio de Janeiro é um desses exemplos, segundo o carnavalesco e comentarista Milton Cunha. “O carnaval carioca é o nosso cartão de visitas e uma tradução do nosso saber viver. É um produto lindo da indústria”.

O sócio-proprietário da Rio Brazilian Party e Joy Party Brasil, Adriano Yedo, destacou ainda a importância do segmento LGBTQ+ em chamar atenção do mundo para o País. “Começamos com festas internacionais no Chile e depois Espanha, Portugal, Suíça, França, Itália e muitos outros países. No ano passado fomos ao Paquistão e Dubai. Sempre levamos muitos DJs brasileiros e os temas são relacionados ao verde e à floresta amazônica entre as comemorações temáticas”.

O Festival de Cinema de Gramado também é um dos eventos que leva o nome da cidade da Serra Gaúcha para outras regiões. “O festival de cinema é um dos mais tradicionais e o único realizado neste ano com filmes nacionais e ibero-americanos, contribuindo para o setor audiovisual brasileiro. Recebemos mídia espontânea muito grande e nosso papel é levar o nome de Gramado para o Brasil e o mundo”, explica Diego Scariot, gerente de Eventos da Gramadotur, autarquia responsável pela organização e execução do festival.

No Norte, o evento mais popular neste sentido é o Festival Folclórico de Parintins, no Amazonas, com os bois Garantido, de cor vermelha, e Caprichoso, em azul. “O festival movimenta a economia da cidade como um todo, gerando alta arrecadação e demanda de turistas. Em três dias, é como se as pessoas trabalhassem seis meses do ano”, comenta a secretária de Turismo de Parintins, Karla Viana.

Agora o desafio maior é esperar pela retomada do setor de eventos e shows, que ainda tem restrições pela necessidade de distanciamento social. “Aquele carnaval feito para o turista, que inclui os ingressos, blocos e escolas de samba, deve ficar esperando a vacina e uma volta da normalidade porque trabalhamos com aglomeração”, avalia Milton Cunha.

O Festival de Cinema de Gramado será realizado neste ano, mas de um jeito diferente. “Neste ano, não podemos realizar o evento presencial. Ele acontecerá no formato online e televisivo, exibido pelo Canal Brasil e também pela plataforma de streaming do canal”, informa Scariot.

Casamentos adaptados

O cerimonialista Roberto Cohen aproveitou o encontro para traçar um panorama atual do setor de casamentos, pontuando que agora destinos nacionais devem ser prioridade em relação aos internacionais. “Quem casaria no Exterior, agora olha para dentro do Brasil como possibilidade, pois temos aqui absolutamente tudo que os outros países oferecem”.

Outro ponto é que os casais que realmente desejam trocar alianças neste momento devem seguir as normas de segurança para evitar contaminações do coronavírus. “Está havendo uma flexibilidade muito boa entre todos os parceiros e os casais estão se adaptando. Temos como base lugares que já abriram e podem realizar eventos, mesmo que seja com um terço da capacidade do local e sem pista de dança. Vale lembrar que hoje mudou apenas o número de convidados, mas não a quantidade de detalhes de um casamento como conhecemos”, diz Cohen.

Assista abaixo ao evento na íntegra:

Deixe uma resposta