E acabou 2020

Por Clóvis Casemiro

O ano de 2019 foi maravilhoso em termos de Turismo crescente e tudo indicava que 2020 seria melhor ainda. Mas a pandemia deixou tudo isso para mais à frente. Aqui no Brasil temos um dos maiores mercados internos do mundo, o que será nossa salvação. Viagens curtas e seguras. E, claro, tudo isso refletiu no Turismo LGBT brasileiro e mundial

É interessante lermos os dados da pesquisa da Associação Internacional de Turismo LGBTQ+ (IGLTA) onde mais de dois mil brasileiros LGBT afirmaram que já consideravam viajar em 2020, com força a partir de outubro. E é exatamente isso que estamos verificando em vários destinos no próprio País.

Muitos membros da IGLTA no Brasil começaram a trabalhar com foco nestes turistas oferecendo programas adaptados aos protocolos e de fácil aceitação. Destaque para viagens próximas à residência – colaborando, inclusive, com a economia local, que é um dos pontos pós-pandemia. Destinos de natureza também serão grandes atrações e estão na mira dos turistas LGBT.

Na pesquisa mencionada, encontramos evidências que confirmam os resultados. Os turistas LGBT irão buscar destinos onde se sintam mais confortáveis e seguros, prestigiando quem trabalha para incrementar esse nicho. Vão querer obter informações antes de viajar com pessoas que já passaram pela experiência, mas sugestões de profissionais também serão fundamentais para o sucesso.

Novembro de 2020 ficará como o marco da retomada e o Turismo LGBT esteve presente em vários eventos nacionais e internacionais. Bem no começo do mês, o Festuris de Gramado se preparou com todo profissionalismo e pelo 12º ano consecutivo apresentou a área de Turismo LGBT, com a presença da Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil, Revista ViaG, Gramado LGBT e IGLTA.

Em seguida veio o Expo Forum Visit SP, evento híbrido realizado pelo São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB), com apoio da Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo e da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), onde tive a honra de representar o Turismo LGBT como força de negócios e de incremento do turismo em suas cidades. Em Bogotá, no famoso WeTrade, da Câmara de Comerciantes LGBT da Colômbia, o Turismo LGBT foi representado por vários destinos e empresas interessadas.

Ainda em novembro foram realizados os dois eventos mais importantes do Turismo LGBT: a 4ª Conferência da Diversidade e Turismo da Câmara LGBT (de 17 a 19) e o Fórum de Turismo LGBT do Brasil da Revista ViaG (23 a 27). Ambos ofereceram distintas maneiras de tratar o assunto e incluir temas tão importantes, como políticas públicas, atendimentos a pessoas com deficiência, negros, comunidade trans e lésbicas.

Mas, infelizmente, para encerrar o ano, mais uma vez o preconceito gritou em Brasília. As palavras ofensivas do presidente sobre sermos “maricas”, justamente durante o evento de lançamento do plano de Retomada do Turismo do governo federal, não foram positivas nem incentivadoras em um momento tão importante para nossa indústria.

Falou contra nossa covardia perante o vírus, que matou e ainda matará mais pessoas se não tivermos a vacina. Vírus este que destruiu o Turismo no mundo. E ainda criticou os Estados Unidos, um de nossos maiores clientes da indústria de viagens. Enfim, somos resilientes e iremos vencer estas barreiras que não encontram eco no exterior.


Clóvis Casemiro é coordenador da Associação Internacional de Turismo LGBT (IGLTA) no Brasil


Deixe uma resposta