Destinos latino-americanos se unem para reativar o Turismo na região

Lançada de forma virtual na última segunda-feira (30), a Rede de Destinos Urbanos Latino-Americanos (RDUL) foi criada com o intuito de promover a reativação turística conjunta de nove cidades de sete países da América Latina – Buenos Aires (Argentina), Quito (Equador), Cidade do México (México), Santiago (Chile), Lima (Peru), Bogotá e Medelín (Colômbia); além de Rio de Janeiro e São Paulo (Brasil).

A entidade nasceu com o desafio de auxiliar os destinos recuperarem o status de grandes geradores de emprego e renda no mundo. De acordo com a Organização Mundial de Turismo (OMT), o setor antes da pandemia da Covid-19 era responsável por um em cada dez empregos no mundo e representava 10,4% do PIB.

Atualmente as fronteiras dos sete países encontram-se abertas e as nove cidades declaram que estão preparadas para receber os turistas estrangeiros cumprindo todos os protocolos de biossegurança. “Queremos mostrar a riqueza turística da América Latina para receber cada vez mais viajantes. Assim, contribuímos com a sobrevivência dos empreendimentos e dos empregos e com os grandes benefícios que o turismo traz para a economia e o desenvolvimento dos países”, afirmaram os representantes da RDUL.

A criação da entidade responde à necessidade do trabalho em conjunto em prol do crescimento turístico, atendendo ao chamado do Secretário Geral da OMT, Zurab Pololikashvili, que afirmou ser necessária “uma coordenação das decisões políticas além dos limites territoriais para fazer frente a um desafio que não entende de fronteiras”.

Vídeo promocional da campanha #ViveCiudadLatina! criado pela RDUL

“Temos uma competição entre os destinos, mas sabemos que um turismo latino fortalecido, com alianças comerciais bilaterais, facilidade de locomoção e uma promoção massiva dos atrativos, beneficia a todos. Vamos juntos trabalhar por uma retomada segura e promissora a curto, médio e longo prazo”, comentou Fabio Zelenski, diretor do São Paulo Convention & Visitors Bureau, na ocasião da assinatura do acordo.

Em seu discurso, a secretária de especial de Turismo e Legado Olímpico, Camila Sousa, citou que as Regras de Ouro – protocolos sanitários da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro -, possibilitaram que o Rio fosse uma das primeiras cidades do mundo a reabrir as portas para o turismo. “Nossa cidade maravilhosa deu início à retomada das atividades turísticas em agosto. Resultado de uma união histórica entre o poder público municipal, estadual e federal e o todo o trade turístico da cidade”, disse. 

Deixe uma resposta