CVBs da América do Sul criam aliança para captação de eventos

Nesta quarta-feira (16) foi lançada a Alianza MICE Sudamérica, formada pelos Convention & Visitors Bureaus de Quito, Bogotá, Lima, São Paulo e Buenos Aires. O objetivo dessa aliança é acelerar o processo de retomada do turismo de negócios e eventos na América do Sul, que foi paralisado em razão da Covid-19, e existe a possibilidade de mais destinos entrarem no grupo em breve.

“A formação dessa aliança fortalece as entidades e colabora para recebermos mais visitantes e desenvolvimento em nossas cidades, estados e países. Teremos troca de informações e apoio mútuo na captação de eventos”, explica Elenice Zaparoli, diretora de Eventos no São Paulo Convention & Visitors Bureau (Visite São Paulo). “Com isso, vamos preparar materiais robustos, alinhados às necessidades e pautados em edições de eventos anteriores. Estarão em foco também as sedes anteriores e futuras sedes no caso dos eventos rotativos”.

A meta principal dessa união de cinco CVBs é reativar a indústria de MICE, levando em consideração a comunicação alinhada, inovação, promoção e posicionamento de cada destino, para multiplicar os resultados. Tudo isso com base nos protocolos de segurança e higienização para garantir a proteção das equipes e visitantes.

A assinatura do acordo de cooperação mútua está baseada em três eixos, sobre os quais se desenvolverão as ações que foram estabelecidas e priorizadas a curto, médio e longo prazo:

Eixo 1: Intercâmbio de boas práticas ao nível do funcionamento de cada Bureau, protocolos de biossegurança para a reabertura e reativação da indústria de eventos;

Eixo 2: Campanha de promoção conjunta e imagem da Alianza;

Eixo 3: Troca de leads e informações que podem ser utilizadas pelos demais integrantes da aliança, em casos de sucesso relacionados a eventos já realizados nos destinos.

“Nunca paramos de trabalhar com prospecção de eventos desde o início da pandemia, incluindo eventos regionais, nacionais e internacionais. É um trabalho feito arduamente, apoiando as entidades e encaminhando os novos protocolos”, ressalta Elenice.

Deixe uma resposta