Comanda eletrônica ganha espaço na hotelaria

TECNOLOGIA MÓVEL ESTÁ GARANTINDO AGILIDADE E MINIMIZANDO A FALHA HUMANA

O software não é propriamente uma novidade entre os restaurantes brasileiros, mas estava até pouco tempo restrito a estabelecimentos de grande circulação e rotatividade, como as churrascarias, por exemplo. À hotelaria a tecnologia começou a chegar com mais força em meados do ano passado e só não avançou em maior escala ainda porque em grande parte das redes o restaurante é teceirizado.

Na rede Blue Tree a comanda eletrônica começou a ser implantada este ano e já está disponível nas unidades de Goiânia, Fortaleza e Lins, no interior paulista. Segundo o gerente de Tecnologia da rede, Heliezer Viana, até o final de 2010, o software já deverá estar implantado em todas as 25 unidades. Entre as muitas vantagens do sistema eletrônico, Viana destaca a agilidade e redução de falhas no atendimento, especialmente em horários de pico. “No modo manual, além do extravio e troca da comandas é muito comum a ocorrência de erro na entrega do pedido simplesmente porque o atendente na copa ou na cozinha, por exemplo, não entendeu a letra do garçom”, pontua Viana.

Munidos de um PDA (Personal Digital Assistant) ou assistente pessoal digital, em português, os garçons só precisam lançar os pedidos, previamente listados e apresentados nas opções mais convenientes à casa e previamente estabelecidos, quando da configuração do software. E são muitas as opções possíveis, dependendo de quantos departamentos estejam ligados ao sistema. Caixa, estoque, financeiro e orçamento, por exemplo, podem receber, simultaneamente, as informações transmitidas a partir do lançamento do pedido na mesa do cliente, tornando muito mais ágil e confiável o trabalho em etapas, do fechamento da conta à baixa do item consumido.

EFICIÊNCIA E CONTROLE

Segundo o gerente de TI da Blue Tree, a maior ou menor amplitude do sistema também pode ser definida a partir do modelo de PDA adotado. No resort de Lins, por exemplo, onde a ocupação é maior entre o público de lazer, o PDA vem acoplado com um leitor de código de barras, que linka o sistema também com o cartão de consumo do hóspede. “Em caso de crianças, por exemplo, os pais já podem determinar um valor de crédito específico”, explica Viana.

Em São Paulo, o Ziláh Gourmet, restaurante anexo à Pousada Ziláh, localizada em pleno coração da capital, no bairro dos Jardins, também já adota a comanda eletrônica desde novembro do ano passado. Na opinião do gerente geral, Tiago Martins, em apenas 15 minutos um único garçom é capaz de atender até oito mesas simultaneamente. “O ganho de tempo é notável porque com a comanda eletrônica os deslocamentos do garçom à cozinha a cada atendimento de mesa não é mais necessário. Os itens são lançados no PDA do garçom e a comanda impressa diretamente no destino, que são três no caso do Ziláh – bar, cozinha e caixa”, conta Martins. E o treinamento da equipe, segundo o gerente, não leva mais que dois dias. O segredo, segundo ele, está na configuração do sistema, que pode chegar ao ponto de baixar do estoque não apenas pratos e bebidas, como cada um dos ingredientes utilizados em uma receita do cardápio. “O controle é milimétrico”, conclui.

Deixe uma resposta