Christophe Besse retorna à hotelaria carioca

TULIP INN COPACABANA INAUGURA RESTAURANTE COM CARDÁPIO ASSINADO PELO CHEF SUÍÇO

Tendo a hotelaria como uma constante em sua brilhante carreira, o chef suíço Christophe Besse já passou por grandes redes, dentro e fora do Brasil, mas há dez anos concretizou o sonho de ter um espaço próprio e fincou raízes em São Paulo, onde comanda e administra o All Seasons, inserido no Golden Tulip Paulista Plaza. O foco no empreendimento próprio, no entanto, hoje ele divide com o trabalho de criação e atualização do cardápio do Branche Restaurante, Bar & Lounge, no Tulip Inn Copacabana, recentemente aberto no Rio de Janeiro. Com o novo projeto, Besse amplia a parceria com a BHG (Brazil Hospitality Group), rede que administra as duas bandeiras, e marca seu retorno ao Rio de Janeiro, onde desembarcou, pela primeira vez no Brasil, em 1987.

Nascido no Vale do Grand Saint-Bernard, em Valais, Besse formou-se na Escola Profissional de Cozinheiros de Sion e além do estágio no Hotel Du Grand-Quai, em Martigny, já registrava em seu currículo passagem pelo Hotel Inter-Continental, em Genebra. O interesse por ingredientes mais exóticos, no entanto, estimulou a busca por novas experiências fora do seu país de origem e o Brasil, mais precisamente o Rio de Janeiro, foi o destino escolhido.

A cozinha do Le Canton, em Teresópolis, foi a primeira parada do chef Besse, por indicação do Consulado da Suíça, o apoio com que contou quando chegou ao País, já que não falava uma palavra em português. Pouco tempo depois foi convidado a se transferir para a capital e trabalhar no Rio Palace Hotel, inicialmente como sub-chef executivo. A promoção a chef principal veio tão rapidamente quanto a proposta para um novo desafio: a mudança para São Paulo, tendo ao seu cargo os restaurantes do então Sheraton Mofarrej. Pela rede Sheraton chegou a atuar nas unidades de Buenos Aires, Cidade do México e Macuto, na Venezuela, mas a saudade o trouxe de volta a São Paulo, onde tempos depois firmou as apostas no negócio próprio.

Hoje, passados 23 anos, Christophe Besse volta a se dividir entre São Paulo e o Rio de Janeiro, e consolida sua parceria com a hotelaria, onde o desafio, segundo ele, é a versatilidade. “Trabalhando dentro de um hotel temos de produzir cinco ou seis cardápios diferentes e ter a flexibilidade e agilidade necessárias para atender, com a mesma qualidade e eficiência, a quem está na mesa, no balcão, na piscina ou no apartamento”, resume Besse, que ainda encontra tempo para atuar como membro da comissão técnica da delegação brasileira do Bocuse d’Or, um dos mais importantes eventos gastronômicos da França, e diretor da Associação Brasileira da Alta Gastronomia (Abaga), de que foi um dos fundadores.

Deixe uma resposta