Chef Helena Rizzo

A ascensão de Helena Rizzo e seu restaurante Maní

O ano começou com força para Helena Rizzo, eleita em março a Melhor Chef Mulher do Mundo pelos especialistas da revista britânica Restaurant. Famosa por formar anualmente um ranking com os 50 melhores restaurantes do mundo, a mesma publicação destaca novamente a chef, por tabela, ao apontar na 36ª colocação o restaurante Maní, cuja cozinha ela comanda ao lado do marido, o espanhol Daniel Redondo. No ano passado, Helena já havia vencido a mesma categoria no âmbito da América Latina e seu restaurante figurava dez posições abaixo.

A ascensão, que ela entende como um reconhecimento ao trabalho de toda equipe da casa, é vista também como de extrema valia para a difusão da gastronomia brasileira. “Buscamos no Maní fazer o nosso melhor a cada dia, errando e acertando. Espero que esse prêmio abra espaço para o trabalho de outras cozinheiras e cozinhas maravilhosas que temos no Brasil”.

O trabalho que desenvolve no Maní, Helena define como um resgate de suas memórias passadas, aliada à forma como percebe o mundo de hoje. “Buscamos sempre esse movimento de olhar para dentro e para fora”, afirma a chef que aos 18 anos se transferiu do Rio Grande do Sul para São Paulo, visando inicialmente a carreira de modelo. Durante quatro anos viveu entre a Itália e a Espanha, e aproveitava o tempo livre fazendo estágios. O primeiro que encontrou foi como garçonete em uma empresa de catering e o segundo na cozinha de um restaurante francês. Foi o bastante para que a paixão pela cozinha acabasse sobrepondo-se à vocação inicial. O impulso fundamental foi a experiência adquirida no El Celler Can de Roca, na Catalunha. “Considero a experiência no Celler minha grande escola na cozinha. Mais ainda para o Daniel, que trabalhou lá dos 15 aos 28 anos de idade”.

De volta ao Brasil, o Maní tornou realidade um projeto idealizado e construído por um grupo de amigos, como ela mesmo conta. “O Pedro Paulo Diniz e a Fernanda Lima foram os investidores. A Giovana Baggio, o Rafael Lima, eu e o Dani trabalhamos no dia a dia. Além do amor e da dedicação que colocamos no restaurante, o fato de nos respeitarmos e acreditarmos uns nos outros, contribuiu muito para o seu sucesso”, conclui.

Deixe uma resposta