Brigada Alto Pantanal lança financiamento coletivo para conter incêndios

Para ajudar a conter o fogo que destrói o Pantanal nos Estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, ambientalistas, pesquisadores, empresários e entidades lançaram a iniciativa Brigada Alto Pantanal. Já são mais de 25 mil focos de queimada e quase três milhões de hectares de área devastada no bioma, que correspondem a mais de dez vezes as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro juntas. Os principais motivos para essa tragédia ambiental envolvem a ação humana e falta de programas de prevenção de incêndios.

A ideia de criar a brigada surgiu para apoiar o Estado, uma vez que a contratação de brigadistas pelo Ibama e ICMBio ocorre de forma sazonal, entre julho e dezembro, e não consegue ter pessoas suficientes para atuar nas regiões mais remotas e menos habitadas do Pantanal.

“Sentimos a perda daquilo que lutamos para preservar. É algo que nunca aconteceu nessa escala e está associado a uma conjunção de fatores para chegar a esse patamar catastrófico”, comenta Angelo Rabelo, diretor de Relações Institucionais do Instituto Homem Pantaneiro (IHP) e coordenador do projeto. “O Pantanal é um pedaço de todos nós e quando queimam um pedaço dele, é como se nos queimassem também. O que vamos deixar para as próximas gerações?”, questiona o documentarista Lawrence Wahba, um dos idealizadores de uma campanha.

Foto: Divulgação/Brigada Alto Pantanal

Foram ativadas quatro plataformas para captação de doações: um crowdfunding (financiamento coletivo) pela plataforma catarse.me com meta de atingir R$ 500.000 (sendo 13% de taxa da plataforma), um crowdfunding voltado ao público internacional operado pelo parceiro Jaguar ID Project, com previsão de atrair até US$ 100.000, doações em criptomoedas aceitas pela plataforma Mercado Bitcoin e doações de equipamentos, como dois barcos, máscaras e EPIs (equipamentos de proteção individual) ou recursos por empresas que poderão inserir suas marcas nos equipamentos doados.

“Temos um impacto colossal para a fauna e flora pantaneira. No entanto, é um bioma de alta resiliência com capacidade de se recuperar, mas é heterogêneo, com áreas que se recuperam mais rápido e outras que demoram mais. Cada hectare importa muito e servirá de fonte para ocupar e colonizar novas áreas destruídas. Será preciso investimento e confiança nos cientistas”, reforça o biólogo Hugo Fernandes.

Além de atrair recursos para a criação da Brigada Alto Pantanal, 10% do que for obtido serão destinados à construção de um ambulatório veterinário na Serra do Amolar. Outros 10% ficarão para alguma ação de mitigação de impacto na fauna da região da Transpantaneira/Porto Jofre, em discussão com a ONG Ampara Silvestre, que já presta primeiros socorros a animais vítimas das queimadas na região.

“A iniciativa é fantástica e temos agora que tentar encontrar soluções. As condições são difíceis para combater os incêndios porque as modificações de padrões de chuva e secas extremas colaboram com essa situação hoje. Se não tem água, vai ter fogo”, explica o analista ambiental do Ibama, Alexandre Pereira.

Tipos de doação

Na campanha de financiamento coletivo (www.catarse.me/brigada_alto_pantanal), o valor mínimo é de R$ 10. Por sua vez, empresas interessadas em doar equipamentos ou recursos devem escrever para o email: [email protected] ou mandar mensagem pelo site www.brigadaaltopantanal.org.br.

Será criado um comitê gestor da brigada, formado por um representante do Instituto Homem Pantaneiro, um representante da ONG Panthera Brasil e pelo guia de ecoturismo e liderança comunitária Ailton Lara, convidado devido à relevância de sua atuação diante dos focos de incêndio.

A previsão inicial é de que a campanha arrecade recursos para a manutenção da brigada com duas unidades com equipes atuando contra o fogo durante toda a estação seca de 2021 (ou antes se necessário). O nome escolhido para batizar a brigada prestará uma homenagem ao naturalista e documentarista de natureza Haroldo Palo Jr. Além disso, a iniciativa conta com páginas no Facebook (Brigada Alto Pantanal) e no Instagram @brigada_altopantanal.

Deixe uma resposta