Automação

Equipamentos e serviços em total integração com o espaço

Equilibrar uma decoração elegante com o excesso de aparelhos high tech, tem sido o desafio do momento para arquitetos e designers de interiores, tanto em projetos residenciais quanto corporativos. Vivenciando de perto essa realidade, a arquiteta Vanessa Trad escreveu recentemente um artigo em que oferece dicas e compartilha ideias com quem também está buscando soluções que acomodem aparelhos de som, televisores, computadores, home theaters, iluminação programada, ar condicionado, câmeras, eletrodomésticos, video games e tantos mais a conta bancária suportar.

“Poucos sabem, mas a cor metálica dos objetos se opõe ao conforto, deixando os ambientes frios. Porém, como não é impossível imaginar viver sem todas essas maravilhas, o segredo é tentar chegar a um equilíbrio, assumindo os aparelhos e tentando integrá-los à decoração”, sugere Vanessa.

Responsável pelo departamento de Marketing e Relacionamento da Taag há quatro anos e especializado em áudio e vídeo, Ricardo Samelo lembra que com tanta automação, “casas e empresas só faltam falar”. Em reforço a isso, na opinião de Samelo, os projetos que se desenvolvem com base nos recursos tecnológicos hoje disponíveis no mercado trazem mais conforto, segurança e praticidade às áreas comerciais e residenciais. “É muito prático poder controlar abertura e fechamento de portas e cortinas, deixar a iluminação e a temperatura aconchegantes, ter a segurança de poder monitorar sua casa ou escritório a distância por imagens na internet e contar com toda tecnologia em som e imagem com apenas um toque de dedo no controle remoto”, afirma. De acordo com o executivo, a automação tornou possível agregar quase tudo, incluindo componentes de áreas externas como piscinas, ofurôs, toldos, iluminação e sistemas de segurança.

A teoria, na prática

Na última mostra da Casa Hotel, promovida em São Paulo, a arquiteta Moema Wertheimer provou que com uma mãozinha da tecnologia é possível integrar sete diferentes áreas em um espaço de 80 metros quadrados. O ambiente assinado pela MW Arquitetura, batizado Suíte São Paulo, estabelecia uma proposta alternativa para executivos que visitam a cidade acompanhados das esposas e buscam funcionalidade, conforto e bem-estar, solução personificada nas áreas Experience Center, Home Theater, Experience Spa, Quarto, Closet, Banheiro e Mezanino Home Office, todas integradas pelo Suíte Systems Control4, um lançamento em sistemas de automação para o setor hoteleiro.

O sistema, já distribuído também no Brasil, já é largamente utilizado nos Estados Unidos. Somente no complexo City Center, em Las Vegas, mais de sete mil quartos estão automatizados com o Suíte Systems Control4, entre os hotéis Ária, Mandarim Oriental, Veer Towers, The Harmon e Vdara.

“O sistema integra iluminação, vídeo, áudio, climatização e serviços do hotel. Com ele, o hóspede pode personalizar a seleção musical, conferir se o voo está atrasado, planejar o passeio pela cidade, entre outras possibilidades de programação, de um jeito simples e sem sair do quarto”, explica Moema, que destaca como principal legado o estímulo à adoção de práticas mais sustentáveis na hotelaria. “O uso mais racional dos serviços gera ganho de eficiência sem perda de qualidade”, explica a arquiteta para quem, no entanto, é preciso muito cuidado para que “tanta automação não torne o atendimento desumano”.

Deixe uma resposta