Apaixonada pelo que faz – Ana Paula Faure

Atualmente, hoteleira comanda 12 empreendimentos e 564 colaboradores

Ser uma mulher independente era o sonho de criança de Ana Paula Faure, paulista separada e mãe de três filhos, que destaca como grande realização profissional a abertura da rede Hplus Hotelaria, há 13 anos.

Formada em Hotelaria e com pós-graduação em Administração de Empresas, a empresária gosta de praticar exercícios, como corrida, pilates e tênis; e também do tradicional cineminha seguido de jantar em um lugar charmoso.

Antes de se dedicar ao setor, Ana conta que chegou a fazer um ano de faculdade de enfermagem e atuou por algum tempo como instrumentadora cirúrgica. “Trabalhava em uma maternidade pública na rua Frei Caneca, na capital paulista, e passava todos os dias em frente ao Holliday Inn Crowne Plaza. Olhava o movimento do hotel e da maternidade e cheguei à conclusão que as pessoas que trabalhavam no meio de hospedagem eram mais felizes”.

Assim, um dia entrou no hotel e conversou com o gerente geral sobre o que era preciso fazer para ingressar na profissão. “Ele me deu dicas preciosas que mudaram o rumo da minha vida”, afirma Ana Paula, que hoje comanda 564 colaboradores em 12 empreendimentos em operação, 1,5 mil diárias de long stay e cinco mil condominiais.

Em sua rotina diária, a executiva afirma que faz várias coisas ao mesmo tempo, mas sempre tentar achar um espaço na agenda para tudo. “Família, relatórios, reuniões, atividades físicas, administração doméstica, e por aí vai, não necessariamente nessa ordem”, brinca.

Nos finais de semana, Ana Paula conta que a rotina não muda muito, mas tenta realizar viagens curtas com frequêcia. “É uma ótima oportunidade para relaxar e conhecer os hotéis da concorrência”, diz.

A baixinha, como era chamada quando pequena (por ser a caçula), diz que entre os principais desafios de administrar uma rede hoteleira é a gestão de pessoas. “Prestadores de serviços precisam ter equipes coesas, simpáticas e eficientes para atenderem todas as demandas das pessoas que estão do outro lado do balcão, cada uma com necessidades, exigências e vontades diferentes”, explica a empresária.

Para Ana Paula, desde a Copa do Mundo a hotelaria sofreu uma pequena retração e sente a desaceleração econômica, com efeitos diferentes em cada cidade. “Brasília, onde está concentrada nossa oferta, dá sinais de recuperação, está bem próxima do reequilíbrio, assim como São Paulo”.

A executiva continua: “Belo Horizonte terá mais dificuldades, há um choque de oferta. Palmas, no Tocantins, onde estamos com um empreendimento em construção, apresenta indicadores bem favoráveis. No geral, há que se entender que a economia tem ciclos e precisamos criar estratégias para minimizar os efeitos na baixa, o que sabemos fazer bem”.

Questionada sobre se a hotelaria é uma boa profissão, a executiva diz que ‘sem dúvida’. “Dentro de um hotel temos um pouco de tudo: Governança, Marketing, Alimentos e Bebidas, Financeiro, Atendimento. Os dias nunca são iguais. Adoro a dinâmica do hotel”.

Sobre incentivar os filhos para seguirem os passos da mãe, Ana Paula diz que a expectativa é que sejam felizes e que busquem uma profissão tão plena quanto é a hotelaria para ela.

Deixe uma resposta