Andrea Emmerling: Belmond Hotel das Cataratas investe em experiências ao ar livre

Próxima de completar um ano no cargo de gerente geral do Belmond Hotel das Cataratas, em Foz do Iguaçu (PR), a alemã Andrea Emmerling faz um balanço da experiência profissional no hotel brasileiro e revela como está lidando com a pandemia de coronavírus. Ela é a primeira mulher a ocupar esta função na unidade e tem um currículo premiado.

Andrea avalia que o momento de Covid-19 acelerou o seu processo de adaptação, mesmo que tenha sido obrigada a se separar fisicamente da equipe. Em paralelo, o hotel começou a pensar em novas possibilidades de experiências e serviços, com destaque para as atividades ao ar livre e de contato com a natureza.

Confira a entrevista abaixo:

Hotelnews: Como foi a sua trajetória profissional até assumir o cargo de gerente geral do Belmond Cataratas?

Andrea Emmerling: Depois de terminar meus estudos em hotelaria na Alemanha, ficou claro pra mim que sair e conhecer o mundo era meu maior objetivo. Iniciei minha carreira em Paris, como recepcionista, e desde então já trabalhei em outros sete países (Irlanda, Alemanha, Emirados Árabes Unidos, Bélgica, Omã, Inglaterra e Brasil), tanto em hotéis como em cargos mais corporativos.

Valorizo muito todas essas experiências e as relações que construí ao redor do mundo durante a minha trajetória até aqui. Todos os lugares que passei foram fundamentais para me tornar quem sou hoje, tanto profissionalmente como pessoalmente. Sou muito grata a tudo o que vivi ao longo da minha carreira.

HN: O que mais te desafiou na nova função?

AE: O Brasil foi o primeiro país que cheguei sem saber falar a língua. Além disso, também nunca havia visitado o Brasil e não conhecia ninguém na cidade em que cheguei. Sem mencionar que também foi o meu primeiro cargo como gerente geral. Definitivamente, um período de muitos desafios. Fiquei sabendo ainda pela minha equipe que sou a primeira mulher e a primeira estrangeira a ocupar este cargo no Belmond Hotel das Cataratas.

Apesar de todas essas “primeiras vezes”, devo dizer que a minha adaptação e integração com a equipe foi ótima e tranqüila. Só tenho a agradecer a todos que trabalham comigo pela forma como me receberam, me fizeram sentir bem-vinda e em casa. Aprendi a falar português em menos de um ano e eles me ajudam muito nisso. Acredito que tem algo muito especial na maneira de receber dos brasileiros, o que também reflete no serviço que prestamos aos nossos hóspedes: é um sentimento genuíno e natural de cordialidade. 

HN: Como foi a experiência de chegar ao Brasil em novembro 2019 e semanas depois começar a pandemia de coronavírus?

AE: Acredito que isso tenha acelerado a minha adaptação e integração com tudo e com todos. De repente, precisei aprender e entender leis e decretos que até os brasileiros lutam para compreender. Também foi um momento em que tive que tomar importantes decisões e me separar fisicamente da minha equipe durante os meses em que o hotel permaneceu fechado, e eu mal havia começado a conhecer as pessoas. Olhando pra trás, hoje me sinto orgulhosa e grata por termos enfrentado o ano de 2020 como uma equipe e estou convencida de que estamos mais fortes e mais unidos do que antes.

HN: Como está a retomada no hotel e os números de ocupação para as festas de fim de ano, incluindo natal e ano novo?

AE: Felizmente, nossa retomada tem sido positiva e vamos fechar 2020 com um cenário melhor do que o esperado inicialmente, apesar de ainda termos uma limitação de voos diretos para Foz do Iguaçu. O nosso mercado local e regional também tem sido um imenso pilar de suporte e é maravilhoso saber que recebemos tantos “vizinhos” no nosso hotel e pudemos estreitar nossos laços com eles. As expectativas para o natal estão quase em linha com o ano passado e estamos aumentando a nossa ocupação para o ano novo. Todos estão ansiosos para virar a página e dar as boas-vindas a 2021.

HN: O que o Belmond Cataratas preparou de experiências e serviços para este momento de pandemia? Existem opções ao ar livres e voltadas para o contato com a natureza?

AE: Toda a nossa equipe aproveitou os meses de fechamento para revisar e repensar nossos processos e ofertas de todos os ângulos, não apenas para alinhá-los aos novos protocolos de higiene, mas também torná-los ainda melhores para os nossos hóspedes quando chegasse o momento de retomada das viagens.

Sem dúvida, as experiências ao ar livre são os grandes destaques e também as minhas favoritas, como o piquenique no gramado do hotel em frente às Cataratas do Iguaçu e a experiência Forest Bathing, voltada para a prática do mindfulness e realizada dentro do Parque Nacional do Iguaçu por um guia especializado, que combina caminhada com técnicas de relaxamento e outras atividades.

HN: Quais foram as principais lições até agora que você aprendeu com a pandemia e as perspectivas para 2021?

AE: Uma das minhas maiores lições como líder foi aprender que não há problema em não saber tudo e não ter resposta para todas as perguntas. Em tempos difíceis e sem precedentes, isso provavelmente nos torna mais próximos de nossa equipe e reforça o fato de estarmos juntos no mesmo barco. Para o ano de 2021, temos grandes projetos em andamento, que envolvem a incrível fauna e flora que nos cerca aqui no Belmond Hotel das Cataratas. Também temos planos de incrementar e melhorar a estrutura para crianças.

Sabemos que o próximo ano ainda será de recuperação, principalmente por estarmos aguardando o retorno dos mercados internacionais. Com resiliência, criatividade e paixão pelo trabalho que a nossa equipe demonstrou ao longo destes últimos meses, não tenho dúvidas de que continuaremos a surpreender e a encantar.

Deixe uma resposta