Accor e Instituto Avon lançam fundo para combate da violência contra mulheres

A Accor e o Instituto Avon, com o apoio do Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), lançaram o Fundo de Investimento Social Privado pelo Fim das Violências Contra as Mulheres e Meninas. O fundo, que tem como meta captar R$ 10 milhões em sua primeira fase, destinará recursos para até 30 organizações que atuam por meio de múltiplas assistências em atendimento às necessidades materiais, psicológicas e jurídicas.

A intensidade com a qual a violência contra mulheres e meninas tem se agravado desde o início da adoção das medidas de isolamento desafia governos, empresas e sociedade civil. É preciso acelerar a implementação de ações que consigam fortalecer a rede de proteção à mulher e construir um legado sustentável no pós-confinamento.

O aumento de 22% no número de feminicídios nos meses de março e abril de 2020, em comparação com o mesmo período do ano anterior, confirma a tendência de crescimento da violência doméstica e familiar durante a quarentena para frear a propagação da Covid-19 no Brasil. Além disso, as projeções apontam que serviços públicos para mulheres em situação de violência doméstica, como abrigos de proteção, começarão a entrar em crise já a partir do segundo semestre de 2020.

O Instituto Avon e a Accor são os primeiros investidores e atuarão na captação de outros, ao passo que o IDIS será responsável pela gestão dos recursos e monitoramento das iniciativas apoiadas. A expectativa é que o repasse seja feito a partir de julho.

Um dos objetivos da iniciativa é contribuir para a integridade física e emocional das mulheres e seus filhos. Neste sentido, um dos pilares do fundo será a hospedagem das vítimas de violência nos hotéis da Accor por meio do Projeto Acolhe, que oferecerá cerca de 4 mil diárias em 295 hotéis localizados em 133 municípios, beneficiando milhares de mulheres.

A Accor irá disponibilizar recursos financeiros ao Projeto Acolhe provenientes do seu fundo de emergência Heartist Fund, dedicado a iniciativas de solidariedade às vítimas do novo coronavírus. Aliada com medidas de segurança física e sanitização, o objetivo é prover hospitalidade, conforto e acolhimento às mulheres desde o momento do check-in.

“O acolhimento vai além da hospedagem e alimentação, oferecendo também equipamentos e cursos voltados à autoestima, educação financeira, inteligência emocional e oportunidades de trabalho no segmento turístico e hoteleiro. Eles serão proporcionados pela Accor Académie, universidade corporativa da Accor, que fornecerá acesso à sua plataforma de ensino”, explica Magda Kiehl, vice-presidente sênior de Jurídico, Riscos e Compliance Accor América do Sul e líder do Riise – Programa Mundial de Diversidade de Gênero da Accor.

Além da assistência social por meio do acolhimento e abrigamento de mulheres, crianças e adolescentes em situação de violência, o escopo do fundo inclui o apoio na segurança alimentar com a doação de cestas básicas em parceria com o Instituto GPA, reaparelhamento da estrutura dos abrigos e apoio a organizações de suporte psicológico e jurídico.

Os recursos também se destinarão a projetos de reinserção das sobreviventes da violência na vida ativa profissional, com cursos profissionalizantes e encaminhamento ao mercado de trabalho. O fundo contempla ainda iniciativas de advocacy para aprimorar e garantir a manutenção de serviços essenciais de proteção, acolhimento e cuidado das vítimas.

“O enfrentamento à violência contra mulheres e meninas requer esforços multissetoriais e ações integradas. Assim, o papel da iniciativa privada é fundamental para mitigar de maneira rápida e efetiva as consequências de uma epidemia silenciosa e complexa que cresce de maneira alarmante com iniciativas que contemplem todas as assistências da rede de proteção, em especial os abrigos que garantem a integridade física das sobreviventes”, acrescenta Daniela Grelin, diretora executiva do Instituto Avon.

As instituições, secretarias e coordenadorias municipais que quiserem se beneficiar desta iniciativa devem entrar em contato com o Instituto Avon pelo e-mail [email protected] e firmar um termo de cooperação. Já as mulheres em situação de violência devem acessar o site do Mapa do Acolhimento para encontrar os serviços públicos de proteção disponíveis para abrigamento que podem ser hotéis, casas-abrigo ou casas de passagem.

Deixe uma resposta