hotelnews

busca

2015
28
10

A tempestade perfeita

POR CRISTIANO VASQUES

vasques

Há alguns anos, o ex-ministro Delfim Netto escreveu um artigo em que citava a possibilidade de uma “tempestade perfeita” atingindo a economia brasileira. Seu argumento era que estavam no ar alguns elementos que poderiam, conjuntamente, causar danos severos e prolongados ao País.

Não imaginava o brilhante economista que sua tese, em pouco, poderia ser tão perfeitamente adaptada ao setor hoteleiro. Infelizmente, porém, a tal tempestade atingiu o mercado do Brasil em cheio. No caso, a conjunção de fatores desfavoráveis tem sido a seguinte:

Conjuntura econômica externa adversa, em especial a forte desaceleração chinesa e o desmantelamento econômico do Brasil;
A crise política doméstica, alimentada pela operação Lava-Jato e pela insatisfação popular quanto ao governo petista;
Os aumentos substanciais das tarifas de água e energia, causados pela forte seca e a inconsequente intervenção do governo no mercado;
O (previsível) problema de excesso de nova oferta hoteleira em várias cidades brasileiras.
Esses fatores atingiram e debilitaram o nosso mercado em seus principais pontos vitais: demanda, oferta e custos. O cenário econômico adverso diminuiu o número de viagens nos diversos segmentos e regiões. Além da queda no número de pernoites, em muitos mercados os poucos hóspedes estão sendo disputados por mais hotéis. Como consequência, iniciou-se uma esperada guerra tarifária. E, como se fosse pouco, os custos de utilidades, muito significativos na estrutura de despesas dos hotéis, subiram até 50% em diversas localidades e empreendimentos.

Na recente versão do Panorama da Hotelaria Brasileira da Hotelinvest/HVS, dados de desempenho do 1o semestre de 2015 indicam o seguinte:

Belo Horizonte foi a cidade, das seis principais do País, mais severamente atingida. A queda da RevPar foi de impressionantes 41%, com diminuição de ocupação e diária na casa dos 20%. Trata-se, possivelmente, de uma queda recorde em tempos de paz. Mas, apertem os cintos, pois ainda há empreendimentos a serem inaugurados na capital mineira;

Rio, Porto Alegre e Salvador também atingidos duramente pelo canal de ocupação e diária, indicando valores de RevPar caindo na casa dos 21%. No caso da capital carioca, a situação parece um pouco mais delicada, dado que ainda há um razoável volume de novos empreendimentos a serem inaugurados;

Curitiba e São Paulo também observaram quedas em RevPar, porém menos acentuadas que nas demais capitais (8% na cidade paranaense e 2% na paulista). Nesse caso, o principal fator foi a menor demanda, já que os aumentos de oferta foram moderados.

Há, no momento, duas preocupações principais em relação a esses resultados. Em primeiro, as quedas de receita vieram acompanhadas de reduções ainda mais fortes nos lucros. Em São Paulo, onde a receita caiu relativamente pouco, os lucros recuaram entre 10 e 20%. Em Salvador, por outro lado, os lucros caíram entre 50 e 60%. Ou seja, são menos da metade que o registrado no ano passado.

Um segundo ponto que merece atenção é que esses valores são nominais, ou seja, desconsideram a inflação. Em tempos de IPCA beirando os dois dígitos, as perdas são ainda mais dramáticas. Do ponto de vista político e econômico, não se observa perspectiva de melhorias no curto prazo. Do ponto de vista de custos e nova oferta, por outro lado, a tendência é que as perspectivas melhorem. 

Seja como for, 2015 continuará sendo um ano de travessia complicada. A sorte foi lançada. Só podemos ajustar custos, ser criativos e torcer por intervenção divina. 

*Cristiano Vasques é engenheiro de Produção (Poli-USP) e especialista em Gestão do Turismo e Hotelaria (FGV). É sócio da HotelInvest e managing director da HVS South America. Contato: cvasques@hvs.com.

 

 

Compartilhe:

  • Email
  • Postar no Twitter
  • Postar no Delicious
  • Postar no Technorati
  • Postar no Digg
  • Postar no Google
  • Postar no Facebook
  • Postar no Yahoo
  • Postar no Windows Live













c�digo captcha



arquivos


hotelnews

privacidade e segurana Copyright 2000/2014 KRM Edições e Comércio Ltda
Site mantido por Lutimo | Studio

Instagram

Facebook