hotelnews

busca

gastronomia

2018
21
06

Restaurante do ibis budget São Paulo tem como proposta transformar vidas

AccorHotels, ibis budget, Trampolim

Um salto na vida. Esse é um dos objetivos do Trampolim, restaurante da AccorHotels localizado no ibis budget São Paulo, na capital paulista, e inaugurado no final do ano passado. Além de servir refeições e incentivar os clientes a utilizarem o espaço para trabalhar, ele emprega pessoas que precisam de um incentivo para dar um salto na vida – elas se estabelecem e depois partem em busca de voos mais altos.

Uma das características da marca ibis budget é servir apenas o café da manhã e depois o restaurante é fechado. Mas quando Juliana Valença assumiu a gerência geral do empreendimento, ela viu uma oportunidade de dar uma vida nova ao espaço, já que na região passam cerca de 120 mil pessoas por dia.

Crédito: Daniel Pinheiro

Uma das primeiras providências foi criar uma entrada independente, para que os clientes não precisassem entrar pelo lobby. Depois, foi a vez de pensar na proposta do local. “Por estarmos em uma localização com muita gente conectada, descolada, que procuram um consumo consciente, não poderíamos criar um restaurante comum”, conta Juliana.

A contratação da equipe foi feita através de ONG parcerias da AccorHotels. E os candidatos não precisavam ter experiência prévia em restaurante ou hotelaria. “Os funcionários vieram de grupos que têm mais dificuldade de entrar no mercado de trabalho, como refugiados, jovens carentes, afrobusiness, mulheres que passaram por situação de vulnerabilidade”, conta Juliana.


Elhe Ferreira Crispin, atendente do Trampolim

O processo seletivo também fugiu do convencional: eles gravaram um vídeo contando qual o seu sonho. “Nós queríamos entender por que eles gostariam de dar um salto na vida”, diz Juliana. Uma das auxiliarem de cozinha contou que seu sonho era ser enfermeira. Ao invés de pensarem que ela não era uma boa candidata, pois iria ficar um tempo e depois sairia, aconteceu justamente o contrário. “Aqui ela teve seu primeiro emprego com carteira assinada, teve as condições para fazer o seu curso e ela vai dar o salto dela quando for a hora”, explica.

Nenhum dos funcionários contratados tinha experiência prévia em hotelaria. Por conta disso, os gestores fazem um acompanhamento muito maior. “Temos que estar presentes, orientando, participando das operações, para que as coisas possam se desenvolver”, explica Juliana.

Outra vertente é a inclusão de nanoprodutores no cardápio. O restaurante foi atrás de pequenos fornecedores e produtores. Um exemplo é uma fornecedora de pão de ervas. “Ela produz em sua casa e vende para a comunidade, mas ela nunca havia trabalhado com um hotel”, conta. Para auxiliá-la e aos demais, o empreendimento capacitou-os e ensinou como manipular os alimentos de forma correta, fazer a etiqueta de validade, emitir nota fiscal. “Hoje, essa fornecedora já conta com uma assistente para ajudá-la”, diz.

Com a projeção do Trampolim, não é mais necessário buscar os pequenos produtores - agora eles os procuram. O cardápio pode ficar em mutação e novos produtos serem incluídos.

Crédito: Daniel Pinheiro

E nesse pouco tempo de operação, o Trampolim já teve dois saltos. Um deles é um engenheiro químico que veio da Venezuela. Ele topou o desafio, trabalhou no restaurante como atendente, e depois foi chamado para atuar em sua área, em uma plataforma de petróleo. Uma das vantagens de contratar estrangeiros é que eles falam outras línguas. “Eles falam inglês, francês, espanhol, e isso nos ajuda também, pois às vezes é uma qualificação que não vemos com frequência”, explica Juliana.

O Trampolim também incentiva as pessoas – não apenas os hóspedes – a utilizarem o local para trabalhar e fazer pequenas reuniões. Para atendê-los, foram criadas baias que oferecem telas com cabos HDMI, entrada USB, tomadas, a parede pode ser utilizada como uma lousa, para os clientes escreverem com giz. Além disso, há um espaço para a gravação de vídeos, que conta com suporte para a câmera e luz para garantir uma boa imagem.

Crédito: Daniel Pinheiro

Todo esse conceito já teve retorno. O faturamento do setor de A&B aumentou 30% desde a inauguração do Trampolim. Além disso, aumentou a percepção do cliente, já que hotéis supereconômicos não costumam oferecer serviço de gastronomia o dia todo. “A página do Trampolim já tem mais seguidores do que a do hotel”, conta Juliana. Desde sua abertura, 80% dos elogios de clientes do hotel são a respeito do restaurante.

A abertura do restaurante também incentivou a procura de grupos por hospedagem. Um exemplo é um grupo de sul africanos, que ficará no empreendimento por alguns meses. Para atendê-lo, foi feito um menu exclusivo, com sabores da África do Sul. “Há seis meses eu provavelmente não iria atendê-los, pois eu não teria com servir o jantar”, diz Juliana.

Crédito: Daniel Pinheiro

Para atrair clientes da região, o empreendimento visitou empresas e ofereceu vouchers cortesia, cafés, amostra de bolos. Um exemplo de retorno é o prédio localizado ao lado do hotel, cujos funcionários vão ao restaurante frequentemente. No almoço, 70% das pessoas são passantes. Já no jantar, esse número se inverte: 80% de hóspedes e 20% de pessoas que não estão hospedadas.

Das 6 da manhã até às 22 horas, os clientes podem pedir os itens do cardápio em qualquer horário. Desde a sua abertura, o restaurante tem ouvido o feedback dos frequentadores, para saber quais pratos estão funcionando melhor.

*Por Lorena Amazonas

Compartilhe:

  • Email
  • Postar no Twitter
  • Postar no Delicious
  • Postar no Technorati
  • Postar no Digg
  • Postar no Google
  • Postar no Facebook
  • Postar no Yahoo
  • Postar no Windows Live













código captcha



notícias relacionadas


hotelnews

privacidade e segurança Copyright 2000/2014 KRM Edições e Comércio Ltda
Site mantido por Lutimo | Studio

Instagram

Facebook