hotelnews

busca

Edição 411

matéria de capa

A força do Storytelling

Quem é que não gosta de uma boa história? Elas reúnem famílias e amigos, aproximam desconhecidos, conquistam e permitem despertar empatia e paixão. São as histórias que nos fazem viajar no tempo, viver ou reviver momentos, tudo por meio da imaginação despertada por uma narrativa inusitada. Por sorte, há um tanto delas em tudo o que vemos e temos como experiência. Basta existir alguém disposto a transmiti-las.


A arte de contar e ouvir histórias é intrínseco à existência humana. Antropólogos e estudiosos, em especial Joseph Campbell - autor do conceito ‘Jornada do Herói’, um modelo de percurso narrativo utilizado em roteiros de cinema e também como ferramenta de motivação para executivos -, ressaltam que o recurso é ancestral e universal. E a hotelaria, que une serviços e pessoas das mais variadas origens e formações debaixo do mesmo ‘teto’ conta com riqueza de detalhes e matéria-prima pronta a alimentar a estratégia promocional dos empreendimentos.


Vale lembrar que esse hábito milenar ganha cada vez mais espaço entre os profissionais de marketing e publicidade, que recorrem ao storytelling para gerar conexão entre a marca e o cliente. “Nossos antepassados contavam histórias ao redor de fogueiras. Era assim que, mesmo sem saber ler ou escrever, conseguíamos trocar conhecimentos sobre deuses, caçadas e heroísmo”, explica Fernando Palacios, pioneiro do storytelling no Brasil, professor de Transmídia Storytelling na FIA e fundador do portal Storytellers.


Muito tempo se passou e a forma de narrar  histórias foi aperfeiçoada. Criaram o teatro, a literatura, a imprensa e a televisão. “No último século, algumas empresas recorreram a escritores e roteiristas para reforçar a divulgação de suas marcas e produtos. Mas foi com o surgimento das redes sociais que as corporações passaram a se ocupar em entender e dominar a antiga arte de contar histórias”, continua Palacios.


Como se beneficiar com essa ferramenta?


Considerando que cada vez mais as pessoas tendem a desconfiar das formas tradicionais de marketing, é preciso encontrar maneiras de superar esse obstáculo e o storytelling pode ser o “pulo do gato”. A afirmação é de Aline Silva, mentora hoteleira e criadora da Slow Travel Life, que propõe viagens de experiência, autênticas e sem pressa, na região da Galícia, na Espanha. “Vivemos na era dos significados e a relação com o consumo mudou. As pessoas não compram mais o que você faz, elas compram o porquê você faz e como isso pode transformar a vida delas”.


Carlos Ferreirinha, presidente da MCF Consultoria, concorda que conexões emocionais com o cliente são vitais. “Quando esses laços são genuínos geram confiança, principal sentimento da lealdade”, diz. “E isso vale para qualquer negócio, em especial para a hotelaria, segmento no qual ter uma boa experiência e levá-la consigo é realmente fundamental”.


Mas, para ter garantia de êxito, Fernando Palacios ensina que é preciso estruturar a história em uma narrativa encantadora. “O enredo vem da ideia de rede. O que significa que nunca uma história é única. Ela é feita de várias linhas que se entrelaçam”, explica. Então, mesmo um hotel que sequer foi construído pode usar storytellig, segundo o professor. “É possível edificar o prédio de forma hipotética, baseado previamente na história que seus hóspedes vão viver ali”, diz.


Além disso, a propriedade pode não ter e nem proporcionar histórias, mas a cidade sim, como conta o especialista. “Cada local tem seu charme, seus personagens. Isso já é suficiente para ir além do que faz a grande maioria dos hotéis no mundo. Limpeza e conforto são pré-requisitos, mas os hóspedes contemporâneos buscam experiências, vivências, histórias para contar quando voltarem de férias”, assinala.




Modelos de sucesso no Brasil


Localizado no Sul da Bahia, Trancoso é um vilarejo repleto de belezas naturais e pessoas amáveis, diversidade cultural e, claro, muitas histórias. O centro da antiga vila de pescadores é conhecido como ‘Quadrado’, mas está mais para um grande retângulo gramado cheio de árvores frondosas e casas coloridas, que enfeitam e dão ainda mais vida ao local.


Nessas construções rústicas e cheias de charme se encontram distribuídos desde bares e restaurantes badalados a lojas de marca e de artesanato local. E foi lá também que Bob Shevlin e Wilbert Das deram vida a um sonho antigo de criar um projeto de ‘luxo responsável e amor à natureza’. Assim, nasceu o UXUA Casa Hotel & Spa.



Entre 2006 e 2009, Bob e Wilbert se dividiam entre suas carreiras de sucesso na indústria da moda na Itália e a construção do UXUA, mas agora se dedicam integralmente ao empreendimento e também à fabricação de móveis artesanais e à construção de residências particulares, além das ações educacionais e ambientais que apoiam. “Contar histórias sempre fará parte da nossa trajetória. UXUA tem dez anos e mesmo que ainda seja pequeno, apenas 12 casas, já desfruta de grande reputação global”, diz Shevlin.


Convidado pela direção do hotel em 2018 para realizar um trabalho de consultoria em storytelling com o staff, o professor e consultor, Max Franco, conta que durante sua estada no UXUA ouviu histórias de vários funcionários e que havia um ponto em comum em todas: o desejo de ver os hóspedes felizes. “As narrativas não falavam sobre o hotel, mas sobre a relação das pessoas com o hotel. Muitas delas certamente mereciam virar páginas de um livro”.


É exatamente isso o que os visitantes do UXUA buscam. Eles querem relaxar, curtir a natureza e se enriquecer com a experiência humana real, o contato com novas pessoas e culturas diferentes, como conta Shevlin. “Somos muito beneficiados por inovações na mídia e na tecnologia. O Instagram, por exemplo, pode ser o canal mais enriquecedor de todos os tempos para manter diálogo com os clientes, atualizações diárias e em tempo real para compartilhar o que está acontecendo em nosso mundo. Quando os convidados podem estar aqui, é claro que queremos compartilhar pessoalmente, mas quando eles estão fora podemos manter o diálogo facilmente até o próximo retorno. E trabalhamos duro nisso”, enfatiza.


O empreendimento possui três perfis na rede social, um para falar sobre o hotel de forma geral (UXUA), um para descrever brevemente sobre bem-estar e spa (UXUAVida) e o terceiro destinado a mostrar o trabalho de design dos proprietários (UXUADas). Todos esses canais são alimentados com fotos e narrativas do dia a dia no vilarejo de Trancoso.




Nascido da consciência de que é necessário reaprender e enxergar o mundo sob nova perspectiva, o Casas na Terra - formado pela Pousada Picinguaba, localizada em Ubatuba (SP); e pela Fazenda Catuçaba, em São Luis do Paraitinga (SP) - tem como filosofia conectar os convidados à natureza, à história e à cultura local. Por isso, as acomodações não possuem TV, frigobar, telefone e internet.


Em Picinguaba, os hóspedes são convidados a aproveitar tudo o que a vila de pescadores tem para contar. Entre passeios de escuna e caminhadas em cenários paradisíacos, os nativos são os anfitriões. “Nossos guardiões são nossa gente, quem nasceu aqui ou fez desse lugar morada. Eles levam consigo a vontade de ficar, de proteger, de preservar a natureza e as tradições do viver simples e do receber caloroso”, diz a mensagem da empresa. 


Rodeada de reservas florestais, uma antiga fazenda de café de 700 hectares é sede da Fazenda Catuçaba. Construído em 1850, o casarão ainda abriga os descendentes de seus fundadores. No local, a cultura caipira e o modo de vida das pessoas da região, sejam eles funcionários ou moradores da comunidade, são privilegiados na proposta de receber o hóspede. A propriedade conta com um programa chamado Residência Artística, que recepciona artistas do mundo todo para que possam vivenciar momentos de tranquilidade, liberando a criatividade e a imaginação. Em troca, os profissionais ofertam alguns de seus trabalhos ao empreendimento.


 


Storytelling pelo mundo


Embora no Brasil o uso do Storytelling ainda seja tímido, pelo mundo é possível encontrar campanhas cada vez mais calcadas nesse conceito. Redes como Taj Hotels, Oberoi Hotels, Aman Resorts, Mandarin Oriental e Shangri-La Hotels & Resorts contam com material bem abastecido de imagens e forte apelo emocional. “Na rede Taj, por exemplo, a história é simples: ‘The guest is God’. O senso de hospitalidade faz parte da própria cultura indiana e essa vocação é elevada à décima potência quando o assunto é hotelaria de luxo”, explica Carlos Ferreirinha, presidente da MCF Consultoria.


Segundo o profissional, esse segmento passou a focar muito na hospitalidade experiencial, e o storytelling é a principal ferramenta para que o enredo seja transmitido e impregnado nos hóspedes, buscando apelo também junto às novas gerações. “Tudo sustentado por histórias bem contadas, sobretudo, o storytelling tem que ser real, sincero e necessita conter a verdade do lugar e do seu povo”.


Um vídeo lançado pela Shangri-La em 2010, e que até hoje é lembrado quando o assunto é storytelling, mostra a história de um homem perdido em montanhas cobertas de neve. O sol estava se pondo, o protagonista já quase sem forças e com muito frio. Lobos o seguiam a todo o instante e o clima de tensão tomava conta de cada cena. 


Na sequência, ele tenta escapar, mas não dispunha mais de energia. Sucumbiu ao frio e ao cansaço. Logo, os animais começaram a circular o homem caído na neve. Neste ponto crítico já imaginamos que o protagonista seria uma presa fácil, mas, em vez disso, a cena final mostra que os bichos se deitam ao seu redor e o aquecem durante a noite fria. O filme termina com o slogan: ‘Abraçar um estranho como se fosse um dos nossos. Essa é a nossa natureza!’. Um desfecho que não precisa nem de explicação.



“Eu acho que é isso que falta na comunicação dos hotéis no Brasil. Aqui reina o formato de campanha publicitária, com elementos e atributos técnicos de vendas, mas pouca sensibilidade. Precisamos de emoção”, constata Aline Silva.


O Mandarin Oriental também ostenta uma campanha de sucesso pautada no Storytelling. Lançada nos anos 2000, conecta o símbolo do grupo (o leque - fan em inglês) às celebridades que regularmente se hospedam nas propriedades pelo mundo e que são fãs (fans em inglês) da marca.


Famosos como Morgan Freeman, Stanley Tucci, Dev Patel, Christian Louboutin, Christoph Waltz e Lucy Liu dão depoimentos sobre o que mais apreciam na rede ou em um hotel em especial, escolhem um local que mais gostam para fazer vídeos e fotos, que são exibidos no mundo inteiro. Para agradecer a gentileza, o Mandarin faz uma doação para instituição de caridade escolhida pela celebridade. “Eles dão um passo à frente com essa campanha, comunicando claramente que seus hóspedes mais famosos são verdadeiros fãs da marca”, constata a mentora de hospitalidade, Aline Silva.


Na América do Sul, a rede explora é especialista em ‘Explorações Exclusivas’. Com destaque para seus roteiros por alguns dos locais mais isolados do mundo, o grupo possui hotéis situados propositalmente para servir de base aos exploradores - Atacama, Patagônia Chilena, Vale Sagrado, Ilha de Páscoa - e cada um deles responde à beleza e características de sua localização única. 


A arquitetura das propriedades foi pensada para integrar e interagir com o entorno, assim, cada hotel é exclusivo e tudo reserva uma história. A filosofia do explora é oferecer experiências através da exploração profunda da região e o luxo do essencial e a sustentabilidade também faz parte do conceito hotel. 



No site do hotel é possível vivenciar um pouco das paisagens e experiências por meio de histórias contadas por guias da rede e também por quem já se aventurou. As narrativas transportam o leitor para os destinos e encantam com a riqueza de detalhes, ao mesmo tempo em que informam os próximos viajantes sobre o que poderão encontrar durante a viagem.


Seja qual for o tamanho do seu empreendimento ou a categoria em que está inserido, vale a pena conhecer as histórias dos seus funcionários, da comunidade, do local e dos próprios hóspedes e transformá-las em narrativas emocionantes para engajar e fortalecer os laços com seu público. Isso é storytelling. 


Veja a matéria na página 12 da edição 411


 


hotelnews

privacidade e segurança Copyright 2000/2014 KRM Edições e Comércio Ltda
Site mantido por Lutimo | Studio

Instagram

Facebook