hotelnews

busca

2011
29
11

Áustria promove roadshow de vinhos no Brasil

Evento promovido pelo consulado acontece de 5 a 8 de dezembro em SP, RJ e Campinas

Kathrin Schreiner, proprietária da vinícola Sonnemulde

Roadshow, vinícola, vinhos, rótulos, Alimentos e Bebidas, Consulado da Áustria

Rótulos de nove vinícolas austríacas, quase todas biodinâmicas, serão apresentados ao mercado brasileiro na próxima semana, em cinco diferentes eventos que acontecem entre os dias 5 e 8 dentro de um roadshow que percorrerá São Paulo, Rio de Janeiro e Campinas, no interior paulista.

Raros de serem encontrados no Brasil, porque a produção é pequena e o consumo interno muito elevado, o que limita as exportações, os vinhos austríacos têm despertado a curiosidade do mercado ávido por novidades. A realidade estimulou a iniciativa do Consulado Geral da Áustria, idealizador do Austrian Wine Show Case, uma semana especial inteiramente dedicada à degustação de alguns dos grandes ícones daquele país.

Nas três localidades em que acontece, o roadshow conta com apoio da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) e da Sociedade Brasileira Amigos do Vinho (SBAV). Na segunda-feira (05/12) ocorrerá uma degustação virtual, transmitida ao vivo, às 20hs pelo site Winebar, ou pela página oficial do portal no Facebook, onde também será possível interagir com os degustadores renomados que receberam amostras dos vinhos.

Entre as vinícolas participantes, representadas pelas duas únicas importadoras que trazem rótulos do país, a The Special Wineries e a Mistral, destaque para a Hirsch, uma centenária produtora, considerada como uma das melhores na elaboração de brancos da Áustria. Outra bem tradicional que estará presente nos eventos é a Juris, que faz vinhos desde 1571 e é ícone da famosa região de Burgenland. Já a biodinâmica Loimer é reconhecida não só por belos rótulos, mas também pela arquitetura única de sua vinícola chamada pela imprensa de “Grande Caixa Preta”.

Serão, ainda, apresentados exemplares das produtoras Sattlerhof, Sonnemulde, Bründlmayer, Prieler, Graf Hardegg e Feiler-Artinger. As duas últimas lançarão seus vinhos pela primeira vez no Brasil e passarão a fazer parte do portfólio da The Special Wineries. “É uma seleção especial que representa algumas das melhores vinícolas do país. E com o bom momento da economia brasileira, queremos mostrar com estes eventos, que agora é possível ter acesso a excelentes rótulos austríacos, repletos de tradição, tipicidade, qualidade e sustentabilidade”, explica o Cônsul Geral da Áustria, Ingomar Lochschmidt.

Uma das presenças confirmadas é a da austríaca Kathrin Schreiner, proprietária da Sonnemulde, uma pequena vinícola familiar biodinâmica da região de Burgenland, especializada em tintos de Blauburgunder (Pinot Noir) e das autóctones Blaufränkisch, Zweigelt e St. Laurent. Esta é a primeira vez que a produtora vem ao Brasil para promover seus vinhos.

Biodinamismo

A Áustria é o maior produtor orgânico da União Européia, com 20% do total plantado neste tipo de cultivo. As vinícolas também são adeptas a esta prática, inclusive adotando o sistema biodinâmico, que além de banir fertilizantes de vinhedos também se utiliza de práticas exotéricas como, por exemplo, colher as uvas de acordo com as fases da lua. Em 2008 já havia no pequeno país cerca de 550 vinícolas certificadas, além de outras dezenas que seguem este formato sem adquirir o selo.

Localizado no centro da Europa, vizinha a ícones produtoras como Itália e Alemanha, o país possui cerca de 46 mil hectares de vinhas que geram 230 milhões de litros por ano, dos quais 77% são consumidos internamente, segundo dados de 2009. Todo este vinho é elaborado por seis mil vinícolas, das quais apenas 450 reservam parte de seus rótulos à exportação. O consumo interno equivale a cerca de 30 litros per capita por ano, o que mantém o país na 13a colocação no ranking mundial nessa categoria.

Ao todo são 16 regiões produtoras, com sete denominações de origem controladas (DAC), além da famosa Wachau que possui apelação própria. O país conta ainda com seis cepas indígenas segundo pesquisas feitas pelo governo local: as tintas Sankt Laurent (da família da Pinot Noir), Blaufrankisch, Rotgipfler e Zweigelt, e as Brancas Gruner Veltliner e Zierfandler.

Compartilhe:

  • Email
  • Postar no Twitter
  • Postar no Delicious
  • Postar no Technorati
  • Postar no Digg
  • Postar no Google
  • Postar no Facebook
  • Postar no Yahoo
  • Postar no Windows Live













código captcha



notícias relacionadas


hotelnews

privacidade e segurança Copyright 2000/2014 KRM Edições e Comércio Ltda
Site mantido por Lutimo | Studio

Instagram

Facebook